quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Livrarias Nobel em São Luís não vende livro “Honoráveis Bandidos”

O livro “Honoráveis Bandidos – Um retrato do Brasil na era Sarney” escrito pelo jornalista investigativo Palmério Dória e publicado pela Geração Editorial, a mesma editora responsável pela revista mensal “Caros Amigos” é um verdadeiro sucesso de vendagem no Sudeste do Brasil e na capital federal.



Lançado em São Paulo no último dia 24 de setembro, o livro conta a trajetória dos integrantes da família Sarney na política e na economia brasileira. Destaque para os negócios escusos do ”empresário” da família, o engenheiro Fernando Sarney, que responde a processo na Justiça Federal. Fernando é apontado pela PF como chefe de uma “OCRIM (organização criminosa) e acusado por formação de quadrilha e desvio de recursos públicos pela Polícia Federal e o Ministério Público Federal.

O mais interessante sobre o lançamento do novo livro de Dória, autor também do livro “A candidata que virou picolé” que narra o episódio “Lunus”, que afastou Roseana Sarney da corrida presidencial em 2002, é que o livro não está sendo vendido em São Luís.

A explicação é simples: Mariane Lima, proprietária das duas franquias da Livraria Nobel em São Luís, uma loja no Shopping São Luís e outra no Monumental Shopping, é esposa do engenheiro Flávio Lima, sócio e colega de Fernando Sarney da Escola Politécnica da USP, turma de 1978.

Para quem não lembra, Flávio Lima foi pego em fragrante em uma conversa telefônica monitorada e gravada com autorizaçãzo judicial pela Polícia Federal. Na conversa com o engenheiro Romildo, da Construtora EIT, Lima cobra comissões não pagas da EIT á “organização criminosa” dirigida pelo irmão da governadora Sarney, referente ás obras de um trecho da Ferrovia Norte-Sul no Estado de Tocantins, de responsabilidade da Valec.

Por indicação de Fernando Sarney, o diretor responsável pala construção da Ferrovia Norte-Sul na Valec era Ulisses Assad, também ex-colega de Fernando, Flavio Lima, Astrogildo Quental e Gianfranco Perasso, na turma da Poli formada em 1978. Ha poucas semanas, Assad foi demitido do cargo pela direção da Valec, após a apresentação de denùncias ligando Assad á "OCRIM" comandada pelo filho do presidente do Senado, José Sarney.

Na conversa com o engenheiro Romildo, Lima ameaça a EIT de perder novos lotes de construção da ferrovia se a empreiteira não pagasse logo as comissões devidas à “OCRIM” dirigida por Fernando. A conversa foi recheada de palavrões proferidos por Lima que ameaçou até pedir ao ex-ministro Silas Rondeau, membro do Conselho da Petrobrás, que inviabilizasse novas obras para a EIT.

Leia agora quatro notas referentes ao diálogo de Flávio Lima com o engenheiro Romildo, da construtora EIT, publicadas no dia 1.° de outubro de 2008, na coluna Profissão Repórter, assinada por mim no jornal “O Imparcial”, de São Luís:

“Diálogo porreta

Uma das partes mais interessantes da investigação feita pela Polícia Federal nos negócios do megaempresário Fernando Sarney foi a gravação de um telefonema trocado entre o empresário Flávio Lima, amigo e ex-colega de Fernando na Escola Politécnica da USP, e o funcionário Romildo da construtora EIT, no dia cinco de maio de 2008 e que durou um pouco mais de dez minutos. 

Flávio Lima e Romildo 1

O relatório afirma que a EIT foi agraciada com a construção de um trecho da Ferrovia Norte-Sul graças à influência de Fernando Sarney. Segundo a PF, a EIT não teria cumprido a sua parte no acordo e o engenheiro Flávio Lima estava possesso com a enrolação da EIT: Romildo: Flávio, conversei com Alexandre sobre aquele assunto... falei da perspectiva do futuro lote, a construção do lote seguinte, entendeu? Ele disse: Romildo pode avisar pro pessoal que eu vou pagar aquela diferença, mas eu quero sentar, eu, o mano e o Fernando para gente fazer uma vilação (sic) do... Flávio: ó, não quero, nem precisa conversar. Não tem eu quero. Nem continua o papo. 

Flávio Lima e Romildo 2

E a conversa telefônica continuou: Romildo: Como assim? Flávio: Não continua....o contrato tá aqui comigo, o Ulisses saiu daqui, tá viajando agora à tarde. Tudo conversado. Eu to com ele na sexta-feira...Romildo: Flávio... Flávio: Você vai mandar esse seu chefe a p.q.p. porque eu vou estar com o Astro amanhã. Eu vou chamar ele e falar: Ó nós não vamos fazer mais nada com a EIT, mais nada. Só aquilo que não tem jeito...Romildo: Mas Flávio... Flávio: Não, vou te falar, ele tá querendo conversar com o Fernando? Ele tá pondo condição para pagar isso? A p.q.p...Romildo: Não é isso não... Flávio: Pague essa merda, que já tem um ano e tanto, você tá recebendo no colo essa bosta de contrato, entendeu, e ele ainda vem dizer não, eu ainda preciso conversar ó! 

Flávio Lima e Romildo 3

Na parte final do diálogo telefônico entre o engenheiro Flávio Lima e Romildo, da EIT, surgiu uma informação muito interessante: Flávio: Eu vou tar com o Silas na terça-feira. Vocês vão ver uma coisa! AH porra, ele é do conselho da Petrobrás! Vocês vão...Eu tou é muito puto com seu chefe se você quer saber...Romildo: Eu sei disso, mas você não entendeu o que eu falei – Romildo, avisa lá pro Flávio que... Flávio: Que eu vou pagar, mas antes eu quero sentar com o Fernando...Romildo: Eu vou sentar com os meus amigos da Constran... Flávio: Eu vou encontrar com o Fernando agora, meio dia, eu vou falar para ele: Fernando dá um gelo no pessoal da EIT, porque é tudo palhaço... Romildo: não, tira seu amigo... Flávio: Tá, eu tiro você.”


È estranho é que Mariane Lima está deixando de vender o livro "Honoráveis bandidos" e ganhar muito dinheiro, pois em São Luís o livro venderia como água no deserto do Saara. Talvez ela esteja agindo assim  para proteger os homenageados com o título do livro. Inclusive seu próprio marido!!

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Vidigal no PSDB

Com a filiação do ex-presidente do STJ, Edson Vidigal, ao PSDB do Maranhão fica mais bem definido o quadro eleitoral dos candidatos a cargos majoritários em 2010.

Do lado da oligarquia, a governadora Sarney deverá se candidatar á reeleição. Ela não se sente á vontade na condição de governadora biônica, imposta pela decisão autocrática de quatro ministros do TSE e contra o desejo expresso nas urnas por quase um milhão e quatrocentos mil eleitores maranhenses.

Tanto ela está desconfortável que nem mais nos palácios dos Leões e no Henrique de La Rocque ela comparece. Ela dorme, faz suas refeições, trabalha, despacha e joga um baralhinho na casa do pai, na praia do Calhau.

Ela anda tão desgostosa com a própria situação que está até desleixada e mal arrumada. Como bem lembrou hoje o jornalista Raimundo Garrone em seu blog, a governadora Sarney chegou ao ponto de receber autoridades federais em sua casa calçando chinelos de dedo.

Foto publicada no blog de Raimundo Garrone



Parece até que a via tortuosa que trilhou para voltar ao poder, sem o glamour da ”primeira mulher eleita governadora pelo voto direto”, título que ela ostentava orgulhosa em 1995, fez com que ela se recolhesse no governo estadual, abrindo espaço para seu cunhado, Ricardo Murad, assumir de fato o papel de governador biônico do Maranhão.

Triste sina esta do povo maranhense sendo obrigado a agüentar as peripécias de um melagomaníaco confesso e pseudo administrador processado pelo Ministério Público Estadual e acusado por formação de quadrilha e improbidade admistrativa á frente do Estado que tem o segundo pior IDH (índice de Desenvolvimento Humano) no Brasil, só perdendo para a combalida Alagoas.

O pior é que se lá os alagoanos convivem com gente da estirpe de Renan Calheiros e Fernando Collor de Melo, o Maranhão por sua vez, não fica em desvantagem: temos a dupla Sarney, pai e filha, presidente do Senado e governadora biônica, escudada pelos irmãos Murad.

Como disse o ex-governador José Reinaldo hoje na Assembléia Legislativa. “Sarney é Roseana e Roseana é Sarney. Não existem diferenças, pelo contrário, um complementa o outro e um não existe sem o outro”.

Para disputar o governo estadual o grupo Sarney deve montar uma ampla coligação com o PMDB, PV, DEM, PTB, PP, PR, além do PT que é noiva mais paquerada de 2010.

As oposições ao grupo Sarney devem lançar pelo menos dois candidatos a governador: o ex-governador Jackson Lago pela coligação PDT e PSDB, além do PPS, PRB e PMN; e o deputado federal Flávio Dino pela coligação PC do B/PT e PSB.

Fica a dúvida se o deputado federal Flávio Dino manterá sua candidatura a governador sem o PT/MA, caso o partido eleja Raimundo Monteiro para a presidência do diretório regional do PT no dia 22 de novembro próximo.

O PT está dividido: três chapas querem apoiar a reeleição da governadora Sarney e se coligar com o PMDB (as chapas encabeçadas por Raimundo Monteiro, Edmilson Carneiro e Fransuíla Soares); uma propõe candidatura própria do PT (a chapa presidida por Rodrigo Comerciário); e duas chapas (as lideradas por Augusto Lobato e Bira do Pindaré) não aceitam apoiar o grupo Sarney. Uma sétima chapa composta pelo deputado Domingos Dutra e seus seguidores, também é contra o apoio à governadora Sarney, mas não apresentou candidato a presidente do PT, apoiando Augusto Lobato.

Tenho dúvidas se só a coligação PC do B e PSB teria estrutura para disputar o governo do Estado e, principalmente, montar uma coligação proporcional para a Câmara de Deputados e Assembléia Legislativa em condições de disputar de igual para igual com o chapão do grupo Sarney e a chapa PDT/PSDB/PPS/PRB.

Luta por duas vagas no Senado

No grupo Sarney uma vaga ao Senado está reservada para a reeleição do ministro de Minas e Energia, Edson Lobão. A outra vaga está aberta para negociações. Tanto pode ser o próprio Ricardo Murad como o vice-governador João Alberto, que só não será candidato se a governadora Sarney se descompatibilizar do cargo em abril de 2010 para concorrer à reeleição fora do governo.

Essa hipótese está sendo considerada porque só sua descompatibilização permitiria a candidatura do irmão Fernando para deputado estadual. Sarney quer blindar o filho com imunidade parlamentar para dificultar a continuidade das investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal e prolongar a tramitação dos processos na Justiça Federal.

O segundo candidato dos sonhos de Sarney para o Senado pelo Maranhão seria um candidato dos partidos de esquerda da base aliada do presidente Lula no Maranhão. Do PT ou do PC do B.

Só que tanto o deputado Flávio Dino como o petista Bira do Pindaré, com certeza, não topariam essa árdua e espinhosa missão, por incompatibilidade política e ideológica com seus ideários.

No outro lado, o das oposições, as candidaturas de José Reinaldo Tavares, pelo PSB, a de Edson Vidigal pelo PSDB e a de Clodomir Paz pelo PDT já estão praticamente definidas. Poderá até surgir um novo nome como o de Haroldo Sabóia ou de alguém do Sul do Maranhão, mas por enquanto os três nomes já citados inicialmente são os mais fortes, com um favoritismo acentuado de José Reinaldo Tavares., seguido do nome de Vidigal. Paz não tem qualquer chance de crescer na disputa, pois não possue cacife eleitoral e nem envergadura política para tamanha empreitada.

Finalizando esta matéria resta a possibilidade das chapas contrárias à coligação com a base aliada da governadora Sarney vencerem as eleições internas do PT/MA. Nesse caso a coligação PC do B/PT e PSB se viabilizaria lançando Flávio Dino para governador, José Reinaldo Tavares para o Senado e talvez Bira do Pindaré para a segunda vaga em disputa no Senado Federal.
Prefeito ordena auditoria nas contas e inventário de bens em Santa Luzia

O prefeito Márcio Rodrigues, do PDT, empossado hoje de manhã na prefeitura de Santa Luzia, começou muito bem sua administração. Sua primeira providência foi ordenar a realização de uma minuciosa auditoria nas finanças do município e um rigoroso inventário de todos os bens móveis e imóveis pertencentes ao poder público local.

O dia começou com a diplomação de Rodrigues no Fórum da cidade. Também foi empossado o vice-prefeito José Reis, do PSB. Depois o prefeito e o vice se dirigiram a um local onde aconteceu um grande comício com mais de dez mil pessoas, segundo estimativa do ex-deputado Oséas Rodrigues, pai do prefeito.

O clima era de festa e os convidados especiais do prefeito, os ex-governadores Jackson Lago e José Reinaldo Tavares e os deputados federais Flávio Dino (PC do B) e Ribamar Alves (PSB) foram recebidos com aplausos. Os dois candidatos a governador, Jackson e Flávio Dino foram ovacionados pelos presentes e fizeram discursos contundentes saudando o restabelecimento da justiça no município.

Também estiveram presentes em Santa Luzia, quatro prefeitos da região: de Alto do Pindaré, Pindaré Mirim, Bom Jardim e Buriticupu.

Eleições conturbadas

Eleito em 2008 com 15.466 votos ou 46,98% dos sufrágios válidos naquele município, Márcio é filho de ex-deputado Oséias Rodrigues, do PDT, e teve o registro de sua candidatura impugnado pela juíza Maricélia Costa Gonçalves da 70.ª Zona Eleitoral de Santa Luzia um dia antes da eleição municipal em 2008.

A mesma juíza tomou uma decisão bizarra: considerou nulos os votos dados ao pedetista e surpreendentemente deu posse ao 2.° colocado, Ilzemar Oliveira Dutra, do PPS, que obteve 12.630 votos (38,37% dos votos válidos).

Coincidência ou não Ilzemar Dutra é membro ativo do grupo político e aliado da governadora Sarney, do PMDB.

Mais dois candidatos concorreram á prefeitura de Santa Luzia no ano passado: Rubenil Targino Silva, do PTN, que obteve 4.781 votos (14,52%) e Rosilene Barros Braide, do PTB, com 42 votos (0,13%).

Originariamente o candidato à prefeitura do PDT era o também médico Oséias Rodrigues. Mas suas contas foram rejeitadas no TCE/MA e sua candidatura impugnada. Ele foi substituído às pressas pelo filho Márcio, mas a juíza Maricélia decidiu que a substituição da candidatura a prefeito do PDT de Santa Luzia tinha acontecido fora do prazo estipulado pela Justiça Eleitoral e impugnou o registro da candidatura de Márcio no dia 02 de outubro de 2008.

Os advogados do PDT de Santa Luzia recorreram ao Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão que estranhamente ratificou a decisão da juíza em 1.ª instância. Inconformado pela decisão tomada em São Luís, o PDT recorreu ao TSE em Brasília, que por decisão unânime, resolveu afastar Dutra da Prefeitura e empossar Rodrigues, o legítimo vencedor das eleições de 2008 naquele município. O deputado Flávio Dino trabalhou como advogado de Rodrigues em Brasília.

De olho no TRE/MA em 2010

O posicionamento da juíza de Santa Luzia e da maioria do pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão é uma lição valiosa para a oposição ao grupo Sarney no Maranhão.

Imaginem o que vai e o que não vai acontecer nas eleições de 2010, quando a governadora Sarney, sobrinha da presidente do TRE/MA, desembargadora Nelma Sarney, tentar renovar seu mandato biônico do Maranhão pelo voto direto.

Podem ter certeza de que coisas estranhas acontecerão na justiça eleitoral maranhense em 2010 e uma pergunta fica no ar desde agora, a doze meses das eleições gerais do ano que vem.

A presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargadora Nelma Sarney, casada com Ronald Sarney, irmão do presidente do Senado Federal, José Sarney, e tia da governadora Sarney, apresenta condições ideais de isenção e imparcialidade para comandar o processo eleitoral de 2010?

Talvez essa seja uma questão complexa que caberia ao Conselho Nacional de Justiça resolver!

Afinal de contas as irregularidades que aconteceram nas eleições municipais de 2008 em Santo Amaro do Maranhão, Santa Luzia do Tide, Barreirinhas e São Mateus estão aí para se questionar as esdrúxulas decisões tomadas pela maioria dos juízes do Tribunal Regional Eleitoral presidido pela cunhada de Sarney.
Narciso ludovicense

O secretário estadual mais inexpressivo e sem prestígio do governo biônico de Roseana Sarney é, sem dúvida nenhuma, o ex-prefeito de São Luís, Tadeu Palácio.

Ele reapareceu anteontem no cenário político durante a convenção regional do PHS, Partido Humanista da Solidariedade, em São Luís.

Tadeu disse que vai se candidatar a deputado estadual em 2010, mas até domingo, dia 27-09, continuava sem partido.

Ele aproveitou a presença de jornalistas na convenção regional do PHS/MA e disparou: “Quando chegar a hora vou fazer a prova dos nove para comparar a minha administração municipal em São Luís com a de todos os outros que passaram nesta prefeitura”.

Vaidoso e egocêntrico, Palácio até hoje não percebeu que não possui votos em São Luís. Nas eleições de 2000 só se salvou porque foi candidato a vice-prefeito de Jackson. Se disputasse a reeleição na Câmara de Vereadores com certeza não se elegeria porque tinha perdido vários cabos eleitorais.

Em 2004 foi literalmente carregado nas costas por Jackson Lago quando derrotou João Castelo do PSDB às duras penas. Em 2006 apostou alto e investiu muito na candidatura do irmão Fernando à Câmara Federal e se deu mal.

Ainda em 2006 apostou o restante de suas fichas na candidatura de João Castelo a senador, apresentando a primeira-dama municipal, Tati Palácio, como primeira suplente de Castelo. Não acreditava na passagem de Jackson Lago para o segundo turno das eleições estaduais e achava que Roseana Sarney ganharia logo no 1.° turno.

Depois que Castelo perdeu a vaga no Senado para Epitácio Cafeteira e Jackson foi para o 2.° turno das eleições para Governador do Maranhão, Palácio fez uma operação simples de adição e percebeu que a soma dos votos de Jackson, de Edson Vidigal (PSB) e de Aderson Lago (PSDB), poderia garantir a vitória do PDT no 2.° turno.

Tadeu Palácio então se transformou e tentou bancar o dono da candidatura de Jackson no 2.° turno. A indiferença e o distanciamento em relação a Jackson no 1.° turno transformou-se, como por encanto, numa rígida marcação corpo a corpo durante o desenrolar da campanha em outubro de 2006.

Depois da proclamação do resultado das urnas então Tadeu se grudou a Jackson tal como um chiclete pegajoso que quase não dava uma brecha para Lago respirar. Na formação do secretariado, Tadeu conseguiu emplacar alguns nomes, principalmente na cobiçada Secretaria de Comunicações e no DETRAN/MA.

O tempo passou e chegaram as eleições municipais de 2008. Pensando que os votos que o elegeram em 2004 eram dele, Tadeu peitou Jackson e o PDT e indicou seu secretário Clodomir Paz para ser candidato a prefeito contra João Castelo, do PSDB, que foi apoiado pelo governador Jackson Lago.

Clodomir teve pouco mais de 10% dos votos no 1.° turno e Castelo e Flávio Dino, do PC do B, passaram para o 2.° turno. Mais uma vez Jackson e Tadeu ficaram em campos opostos: Jackson continuou apoiando Castelo e Tadeu apoiou Dino.

Deu Castelo com mais de 10% de vantagem sobre o candidato do PC do B. Depois de sair da prefeitura da capital em janeiro de 2009, Tadeu se afastou de vez de Jackson e saiu do PDT. Não prestou solidariedade ao governador durante todo o processo que levou à cassação de Jackson e depois da posse da governadora biônica Roseana Sarney, Tadeu, como uma espécie de prêmio de consolação pelo conjunto de sua obra no PDT, foi agraciado com o cargo de secretário estadual de Turismo.

Agora Tadeu anunciou que será candidato a deputado estadual. Com a concorrência de outros secretários deputados como Ricardo Murad, Raimundo Cutrim, Max Barros, César Pires e dos deputados da bancada sarneysista na AL (composta por sarneysistas históricos, ex-sarneysistas que voltaram ao ninho e novos sarneysistas – ex-tucanos e ex-pedetistas) duvido que Palácio se eleja deputado estadual.

Só se ele inflacionar o mercado eleitoral e estourar seu cofre. Mesmo assim é difícil, eu diria quase impossível, porque voto que é bom Tadeu não tem e nunca teve.

Quem viver verá!!
Credibilidade zero

Depois a classe política reclama, sem razão, da opinião pública nacional apontar os parlamentares como responsáveis pela maioria das mazelas que aflige a população brasileira.

Ao aprovar a emenda constitucional, a PEC336/09, que cria novos 7.343 cargos de vereador em todo o país, a maioria dos deputados federais brasileiros olhou apenas para seu próprio umbigo. Eles estão só interessados nos votos que esses vereadores biônicos possam garantir em 2010 para a renovação de seus próprios mandatos de deputados federais.

Não existe outra explicação plausível para tamanho desatino que vai aumentar consideravelmente os gastos dos municípios para sustentar suas inchadas câmaras de vereadores. Em São Luís seriam criadas dez novas vagas, elevando o número de vereadores de 21 para 31.

A constituição brasileira em seu artigo 14° diz que “a soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto”.

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Carlos Veloso, afirmou que “sob o ponto de vista político, essa é uma atitude muito infeliz do Congresso. Parece um trem da alegria...”

A Câmara Federal em 2009 repete o pacote de abril de 1977, quando a ditadura militar através do general presidente Ernesto Geisel e seu auxiliar, general Golbery do Couto e Silva, inventaram a figura patética do senador biônico, eleito indiretamente pelas Assembléias Legislativas.

Na época os militares estavam morrendo de medo das eleições para o Senado Federal em 1978, que renovaria dois terços senadores. O Senado tinha então 66 senadores e 44 vagas estavam em jogo.

Com o pacote de abril em vigência, cada Estado elegeu em 1978 um senador pelo voto direto e a AL escolheu um senador indiretamente. José Sarney, já pelo PDS, foi eleito pelo voto e Alexandre Costa, também do PDS, se tornou senador biônico do Maranhão.

Em 1974 em um surpreendente protesto pelo voto, os brasileiros elegeram 16 senadores pelo velho MDB, contra apenas seis da Arena. As regras eleitorais mudaram com o pacote de abril de 77, porque a ditadura militar sabia que em 1978 iria levar uma surra nas urnas.

Só para refrescar a nossa memória, na eleição de 1974 o Maranhão elegeu Henrique de La Rocque pela Arena, enquanto o MDB elegeu entre outros nomes, Orestes Quércia em São Paulo, Marcos Freire em Pernambuco e Leite Chaves no Paraná.

Enquanto a maioria dos deputados federais brasileiros cria quase oito mil novos vagas de vereadores, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral entrega hoje no plenário da Câmara em Brasília um projeto de iniciativa popular, acompanhado de um abaixo assinado com mais 1,3 milhão de assinaturas.

O projeto propõe o estabelecimento de novos critérios para que candidatos a cargos eletivos com problemas na justiça possam disputar cargos públicos. A matéria precisa ser aprovada até o próximo dia 3 de outubro, sábado, para valer como lei para as eleições de 2010.

Pela proposta pessoas condenadas em primeira ou uma única instância ou com denúncias recebidas por um tribunal relacionado a crimes graves como racismo, homicídio, estupro, tráfico de drogas e desvio de verbas públicas, os já popularmente chamados de candidatos com “ficha suja”, ficam impedidos de disputar eleições.

A nova legislação eleitoral se aprovada, impediria, por exemplo, a candidatura do empresário Fernando Sarney a deputado estadual. Ele está sendo investigado pela Polícia Federal e o Ministério Público Federal, que pediram à Justiça Federal sua prisão preventiva. Fernando é acusado pela PF de chefiar uma “OCRIM” (organização criminosa), que desviaria verbas públicas da União

O ex-presidente José Sarney e a governadora biônica do Maranhão, Roseana Sarney, querem que Fernando dispute uma vaga à Assembléia Legislativa do Maranhão. Assim sendo ele ficaria mais protegido da lei através da imunidade parlamentar do mandato de deputado estadual, o que lhe garantiria um foro especial e mais privilegiado para enfrentar a tramitação dos processos e para dificultar ainda mais o andamento das investigações da PF e do MPF.

O Senado Federal aprovou essas mudanças no início de setembro, incorporando-as ao projeto de reforma eleitoral. Mas os deputados federais recuaram na Câmara e conseguiram derrubar as restrições aos candidatos “ficha suja”.

Vamos ficar de olhos abertos para acompanhar a tramitação deste projeto de iniciativa popular que precisa ser aprovado até este sábado. Seria interessante que os leitores do blog pudessem enviar mensagens via E-mail, telefonema ou telegrama para que os deputados federais em quem votaram em 2006 aprovem esta iniciativa popular que quer banir os candidatos “ficha suja” das eleições brasileiras.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Justiça em Santa Luzia

O médico Márcio Leandro Antezana Rodrigues, do PDT, toma posse amanhã, 3.ª feira, 29 de setembro, às 09h0, no cargo de prefeito de Santa Luzia. Eleito em 2008 com 15.466 votos ou 46,98% dos sufrágios válidos naquele município.

Márcio é filho de ex-deputado Oséias Rodrigues, do PDT, e teve o registro de sua candidatura impugnado por uma juíza de Santa Luzia, que deu posse ao 2.° colocado, Ilzemar Oliveira Dutra, do PPS, que obteve 12.630 votos (38,37% dos votos válidos). Dutra é aliado da governadora Roseana Sarney, do PMDB.

Mais dois candidatos concorreram á prefeitura de Santa Luzia no ano passado: Rubenil Targino Silva, do PTN, que obteve 4.781 votos (14,52%) e Rosilene Barros Braide, do PTB, com 42 votos (0,13%).

Originariamente o candidato à prefeitura do PDT era o também médico Oséias Rodrigues. Mas suas contas foram rejeitadas no TCE/MA e sua candidatura impugnada. Ele foi substituído às pressas pelo filho Márcio, mas a juíza da cidade decidiu que a substituição da candidatura a prefeito do PDT de Santa Luzia tinha acontecido fora do prazo estipulado pela Justiça Eleitoral.

Os advogados do PDT de Santa Luzia recorreram ao Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão que ratificou a decisão da juíza em 1.ª instância. Inconformados pela decisão tomada em São Luís, o PDT recorreu ao TSE em Brasília, que por decisão unânime resolveu afastar Dutra da Prefeitura e empossar Rodrigues, o legítimo vencedor das eleições de 2008 naquele município.

O posicionamento da juíza de Santa Luzia e da maioria do pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão é uma lição valiosa para a oposição ao grupo Sarney no Maranhão.

Imaginem o que vai e o que não vai acontecer nas eleições de 2010, quando Roseana Sarney, sobrinha da presidente do TRE/MA, desembargadora Nelma Sarney, tentar renovar seu mandato biônico de governadora do Maranhão pelo voto direto.

Os ex-governadores do Maranhão, Jackson Lago e José Reinaldo Tavares, estarão presentes à posse de Márcio Rodrigues no cargo de prefeito de Santa Luzia.

Logo depois da eleição de 2008, partidários do PDT protestaram nas ruas da cidade contra a impugnação da candidatura de Márcio. O protesto fugiu ao controle da PM e partidários de Dutra aproveitam a baderna na cidade para queimar as instalações do fórum de Santa Luzia, segundo denúncias de pedetistas da cidade.

Na época dos acontecimentos o sistema Mirante/Mentira de Comunicação gerou matérias de TV em rede nacional apontando os pedetistas da cidade como baderneiros e únicos responsáveis pelo quebra-quebra e o incêndio no fórum de Santa Luzia. Segundo a TV de Sarney, os pedetistas atentaram contra a democracia ao se revoltarem por não aceitarem o resultado do pleito.

Passado quase um ano daqueles acontecimentos, a normalidade democrática foi restabelecida em Santa Luzia pelo TSE com a posse do verdadeiro prefeito eleito pelo voto livre do povo de Santa Luzia.

Aguarda-se que a Justiça puna exemplarmente os verdadeiros baderneiros que desrespeitaram a democracia em Santa Luzia.

Seria de bom alvitre que o novo prefeito de Santa Luzia, Márcio Rodrigues, ordene como primeira medida administrativa uma minuciosa e completa auditoria nas contas financeiras de todas as secretárias e repartições públicas municipais. Afinal de contas, seguro morreu de velho!!
Festival da Record de 1966

Dois anos após o golpe militar, a TV Record, canal 7, de São Paulo, realizou seu Festival de Música Popular Brasileira mais concorrido.

A plateia formada em sua maioria por estudantes, se identificou com a música "Disparada", composta por Geraldo Vandré e interpretada pelo jovem cantor negro, Jair Rodrigues.

Já o júri oficial do festival preferia a música "A banda", composta por outro jovem talento musical, o carioca Chico Buarque de Holanda, estudante de Arquitetura da USP. A intérprete da música de Chico foi a cantora Nara Leão.

Em entrevista recente á imprensa brasileira, Chico Buarque contou uma história interessante: ao saber nos bastidores do festival da Record de 1966 a notícia de que o júri tinha escolhido sua música como ganhadora do festival, Chico foi até os organizadores do evento e ameaçou se retirar do festival, caso a música de Geraldo Vandré não fosse a vencedora.

Para tentar não desagradar ninguém, as duas músicas; " A banda" e "Disparada" ficaram empatadas em primeiro lugar.

Veja agora o vídeo histórico com a magistral interpretação de Jair Rodrigues no Festival de MPB da TV Record de 1966:

domingo, 27 de setembro de 2009

Cizânia do sistema Mirante/Mentira

O leitor desatento de "O Estado do Masranhão" pode estar achando que os ex-governadores José Reinaldo Tavares e Jackson Lago estão com as relações cortadas e não se falam.

É que os jornalistas que cobrem política naquele jornal são mais fofoqueiros que o Nelson Rubens, a Sônia Abrão e o PH somados tamanha a lorota e as inverdades que espalham quando escrevem.

É evidente que Lago e Tavares não possuem a mesma opinião sobre o caminho a ser trilhado em 2010 pela oposição ao grupo Sarney. Enquanto Lago defende o lançamento de um só candidato ao governo do estado pelas oposições sarneysistas, Tavares defende o lançamento de vários candidatos a governador pelas oposições em 2010.

Mas as divergências terminam aí e os dois estarão juntos no ano que vem contra Roseana Sarney ou Édison Lobão. Zé Reinaldo só não foi ao encontro regional do PDT realizado na Assembléia Legislativa na última sexta-feira, porque estava em Brasília desde terça da semana passada.

Quem apostar que Jackson Lago, Zé Reinaldo Tavares, Aderson Lago, Edson Vidigal, João Castelo, Sebastião Madeira, Roberto Rocha, Carlos Brandão, Julião Amin, Ribamar Alves, Marcelo Tavares, Bira do Pindaré, Domingos Dutra, Valdinar Barros e Cleber Verde não estarão juntos e reunidos em 2010 contra o grupo Sarney, vai quebrar a cara. Quem viver, verá!

Vamos praticar um jornalismo baseado em fatos e não nos interesses excusos do sistema Mirante, cujo anagrama Mentira possui o mesmo sentido.
Futebol

Não vai dar para o meu tricolor!

Com a vitória de ontem do Palmeiras por 2 a 1 contra o Atlético do Paraná, confesso que perdi as esperanças de ver o meu São Paulo campeão pela sétima vez do Brasileirão da série A. Ainda mais depois do bisonho empate de hoje com o Corinthians por 1 a 1. O jogo foi péssimo e o zagueiro André Dias deuu uma senhora pixotada atrasando errado a bola para o goleiro Bosco, que estava de cabeça baixa no lance. Aí já viu né! Sobrou para o Ronalducho, que mais parece um lutador de sumô, do que um jogador de futebol.

O Murici tem estrela mesmo e o Palmeiras deverá ser o campeão de 2009, depois de 15 anos na fila. Será o quarto título nacional seguido do tècnico mais ranzinza do futebol brasileiro e só não é quinto porque o título de campeão do Internacional em 2005 foi garfado pelo Coringão.

Incrível nesta década quase só deu time campeão de São Paulo: Santos em 2002 e 2004, Corinthians em 2005; e São Paulo em 2006/2007 e 2008. As exceções foram o Atlético do Paraná em 2001 e o Cruzeiro em 2003.

Apesar da vitória do Flu contra o Avai por 3 a 2 e a do Sport por 2 a 1 contra o Santo André, acho que o Fluminense, Sport e Botafogo vão cair para a série B. O último a cair será o Santo André ou o Nautico.

Já na série B, o Vascão e o Guarani devem retornar para a elite do futebol brasileiro. Ainda está cedo para dizer os nomes dos outros dois clubes que subirão para a série A em 2010.

Coitado do Nelson Rodrigues que assistiu lá de cima o seu Fluminense sair da lanterna da sérieb A por apenas duas horas. Meus amigos Aderson, Rodrigo, Dip, Daniel, Sérgio, João Mussurunga, Antonio Melo e meu querido tio e padrinho Paulo Arthur estão sofrendo demais. Cuidado com o coração, minha gente!

Na reta final do campeonato todos devem ficar de olho no Atlético mineiro que se reforçou e venceu o Santos por 3 a 1 no Mineirão.
Suspense no ar

Brasil aguarda julgamento no Supremo no dia 30

O Supremo Tribunal Federal (STF) deverá julgar no próximo dia 30 de setembro a decisão do ministro Eros Grau que suspendeu a tramitação de 77 processos de perda de mandatos eletivos majoritários e proporcionais no TSE, por entender que os processos têm que ser obrigatoriamente julgados antes nos respectivos Tribunais Regionais Eleitorais.

No entender mais recente de Grau, como são os tribunais regionais eleitorais é que diplomam e empossam governadores, prefeitos, senadores, deputados federais, estaduais e vereadores, as cassações destes mandatos teriam que ser julgados antes na esfera jurídica estadual.

O interessante é que o mesmo Eros Grau decidiu anteriormente que o julgamento do processo de cassação do governador legitimamente eleito do Maranhão, Jackson Lago, poderia ter sido realizado como foi, sem passar pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão.

A abrupta e radical mudança de posição de Grau pode ter a ver com fato de que três processos pedindo a cassação do mandato da governadora Roseana Sarney aguardam pauta para julgamento no Tribunal Superior Eleitoral.

O STF é constituído por onze ministros e no momento o pleno do STF é composto por dez ministros, devido ao falecimento do ministro Menezes Direito.

Dos dez ministros, três têm posições já conhecidas: Cezar Pelluzo e Marco Aurélio já defenderam anteriormente que os processos de cassação de mandatos eletivos têm que ser julgados antes pelas instâncias regionais da Justiça Eleitoral; e Carlos Ayres de Britto, presidente do TSE, é contra a nova tese de Eros Grau e defende que o TSE pode julgar diretamente os processos que pedem a cassação de mandatos eletivos.

Não se sabe ainda a posição que será tomada pelos outros seis ministros do STF: Gilmar Mendes, Joaquim Barbosa, Celso de Mello, Ellen Gracie, Carmem Lúcia e Ricardo Lewandowski.

Especula-se nos meios jurídicos de Brasília que o próprio Eros Grau não resistirá a uma pressão do presidente do Senado Federal, José Sarney, para mudar de posição novamente e defender a posição de que o TSE pode sim julgar processo de cassação de mandatos, sem passar primeiro pelos tribunais regionais eleitorais dos Estados.

Se a justiça no Brasil fosse só uma questão da livre opinião e consciência do cada ministro do Supremo, sem interferência das pressões políticas, o julgamento do processo que cassou o direito de quase 1,4 milhão de eleitores maranhenses escolherem livremente o governador Jackson Lago deveria ser anulado e o mandato imediatamente devolvido a Lago.

Aí começaria tudo de novo e o processo seria julgado no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão. De preferência sem a participação da presidente do tribunal, desembargadora Nelma Sarney, cunhada do presidente do Senado e tia da governadora Roseana, pois ela é parte interessadíssima no processo.

Depois do julgamento no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, a parte perdedora poderia recorrer ao TSE e novo julgamento teria que ser realizado em Brasília.

Outro fator poderá definir o rumo do resultado do julgamento no STF no próximo dia 30 de setembro. O presidente Lula e o PT têm grande interesse em postergar ao máximo o julgamento do processo que pede a cassação do mandato do governador petista de Sergipe, Marcelo Deda.

Se a nova tese de Eros Grau for confirmada pelo pleno do Supremo, o julgamento de Deda terá que passar pelo tribunal regional eleitoral de Sergipe e isto, com certeza, atrasará mais ainda uma possível cassação do petista.

Outra hipótese bastante viável que poderia preservar o mandato biônico de Roseana Sarney é o Supremo decidir no dia 30 que os julgamentos de cassação de mandatos têm que ser realizados antes nos Estados, mas que a decisão não seria retroativa e valeria do dia 30 de setembro de 2009 em diante.

Mais uma vez, nesse caso, o julgamento seria político só para defender os interesses eleitorais da família Sarney.
Roseana Sarney, a OAS e a Gautama aprontam e o povo de São Luís sofre sem água

O supersecretário Ricardo Murad anunciou anteontem em entrevista coletiva que sua cunhada, a governadora Roseana Sarney, decretou no último dia 21 de setembro estado de calamidade pública no município de São Luís por 90 (noventa) dias.

O motivo alegado pela matéria do jornal da família Sarney para a assinatura do decreto foi: “Um colapso no sistema de abastecimento de água, em decorrência da precariedade da Adutora Italuís I, que apresenta intenso processo de corrosão e consequentemente rompimentos, o que tem resultado na perda de até 60% da água bombeada para São Luís.”

A matéria publicada na capa do caderno Cidades da edição de sábado, 26, terminou com uma informação técnica do atual presidente da Caema, João Moreira Lima, e uma insólita e irresponsável afirmação de Ricardo Murad.

“Das três bombas do Italuis, só duas funcionam, ou seja, em vez da produção alcançar nível de 1,8 m cúbico por segundo, havia uma vazão de apenas 1,4 m cúbico por segundo”, disse Moreira Lima.

Murad fechou a matéria afirmando: “encontramos a Caema diante de um desastre total. Tudo por causa das más administrações anteriores. Essa empresa já foi muito usada politicamente, o que causou uma sequência de problemas. Estamos trabalhando para reverter este quadro.”

Roseana e a Gautama

O que Ricardo Murad esqueceu de informar, a bem da verdade, é que em 2000, a União, através do Ministério de Integração Regional, e o Estado do Maranhão, através da governadora Roseana Sarney e a Caema, assinaram um convênio no valor de R$ 300.000.000,00 (trezentos milhões de reais), que hoje valem R$ 540 milhões, para duplicar a capacidade de produção de água do Italuís1.

Com a verba deveria ter sido construída uma nova adutora, a Italuís 2, dobrando a capacidade de captação de água, tratamento da água e distribuição do líquido para toda a ilha.

A CPL (Comissão Permanente de Licitação) do governo de Roseana Sarney realizou uma concorrência pública, a 092/2000CPL, e firmou dois contratos (071/2000RAJ e 072/2000RAJ) de R$ 150 milhões cada com as empreiteiras baianas Gautama Ltda., do empresário Zuleido Veras, e com a OAS Ltda., pertencente a um genro de Antônio Carlos Magalhães, o ACM, político baiano já falecido que foi aliado e ex-ministro das Comunicações do presidente Sarney.

Para sacramentar o negócio com Zuleido Veras, Roseana nomeou em 2000 para a presidência da Caema, o engenheiro baiano e ex-funcionário da Gautama, Thadeu Antônio Almeida de Oliveira Pinto, que ficou no cargo até 2002.

O tempo passou e o sistema Italuís continuou com os mesmos problemas. Construído no governo de João Castelo, no início dos anos 80, o Italuís 1 não acompanhou o crescimento da população da capital maranhense e não consegue ofertar água necessária para o consumo pleno de mais de um milhão de habitantes da capital.

Por isso o rodízio no fornecimento de água aos bairros, com as comunidades mais carentes ficando vários dias sem água, vivendo o drama diário das torneiras vazias.

Algumas poucas obras isoladas foram feitas, muito dinheiro foi liberado para a Gautama e a OAS até que a pedido do Ministério Público Federal do Maranhão, o juiz federal Wellington Cláudio Pinheiro de Castro em 19/10/2005, resolveu anular a concorrência 092/2000CPL, os contratos 071 e 072/2000RAJ e seus respectivos aditivos firmados entre a Caema, e a Gautama e a OAS. O juiz condenou o governo do Estado a ressarcir aos cofres da União os valores das parcelas já liberadas às empreiteiras baianas pela empresa interveniente, no caso a Caema.

Roseana e Zuleido

Leia agora o texto assinado por Darlene Pereira e publicado no portal Bahia Notícias, de Samuel Celestino, em 03 de Junho de 2007, cujo título é “Os milhões da Gautama e da OAS no Maranhão”.

“Ainda conforme a Policia Federal que está no rastro de Zuleido Veras, apontado como pivô da máfia das obras, a PF mira um negócio de R$ 540 milhões - em valores atualizados - no Maranhão que ele dividiu com a Construtora OAS. O negócio foi feito no governo Roseana Sarney (hoje no PMDB, na época no PFL). A meta inicial da investigação federal era descobrir como a empreiteira de Zuleido foi acolhida pelas administrações de José Reinaldo Tavares (PMDB) e Jackson Lago (PDT), alvos da Operação Navalha. Os federais descobriram que, em parceria com a OAS, a Gautama chegou bem antes por lá, quando o Maranhão ainda era domínio quase exclusivo do clã Sarney. Em 2000, quando a Companhia de Águas e Esgotos do Maranhão (Caema), por força de convênio com o Ministério da Integração Nacional, contratou as empreiteiras para a obra da Adutora Italuís II, orçada então em R$ 300 milhões. A Investigação aponta que a OAS e a Gautama dividiram meio a meio o bolo, e a OAS pegou um trecho de R$ 151 milhões.” (Darlene Pereira)

Nas investigações realizadas pela Polícia Federal na Operação Navalha foi encontrada uma anotação datada de 14 de julho de 2006 na agenda de Zuleido Veras registrando a doação de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) da Gautama para a campanha eleitoral de Roseana Sarney ao governo do Maranhão. Também foram encontrados vários registros e cópias de cheques com valor médio de R$ 10.000,00 (dez mil reais) depositados na conta corrente bancária de um irmão do ex-presidente José Sarney.

Ninguém esquece no Maranhão a forma como o sistema Mirante/Mentira tratou José Reinaldo Tavares e Jackson Lago em seus veículos de comunicação. Foram condenados previamente, mesmo sem terem sido julgados, e a imagens dos dois ex-governadores foram apresentadas como se fossem marginais e corruptos durante a Operação Navalha

Ninguém desconhece que é para isso: distorcer os fatos, divulgar mentiras e tentar manipular a opinião pública é que o Sistema Mirante existe.

A farra das dispensas de licitação

Mas não tenham dúvidas que a decretação deste estado de emergência em São Luís por 90 dias tem um objetivo bem diferente do que querer resolver o problema de falta de água em São Luís.

A própria matéria do jornal da família imperial do Maranhão retira as máscaras de paladinos da justiça de Roseana e Ricardo ao anunciar “a liberação de R$ 255.000.000,00 (duzentos e cinquenta e cinco milhões de reais) pelo Ministério das Cidades para investimento na recuperação do sistema de abastecimento de água composto pelo Italuís, Paciência e Batatã, e tratamento do esgoto de São Luís.”

A matéria do Diário Oficial da oligarquia continua; “As negociações com o Ministério das Cidades se desenrolaram graças ao bom relacionamento de Roseana Sarney com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.”

Roseana usa e abusa de Lula e o presidente adora ser enxovalhado e enrolado pelos Sarney's.

Segundo Ricardo Murad “R$ 170 milhões serão destinados à recuperação do Italuís; R$ 10.800.000,00 na readaptação dos sistemas Paciência e Batatã; e outros R$ 50 milhões para o reforço da vazão de água na Estiva, além da colocação de cerca de duzentos mil novos hidrômetros na capital.”

A principal causa prática da decretação do estado de emergência em São Luís por noventa dias é o fato do governo de Roseana e de Ricardo Murad realizar essas obras contratando empreiteiras com dispensa de licitação. Ou seja, sem concorrência pública e ao bel prazer de Ricardo e Cia Ltda.

A história se repete nos governos de Roseana Sarney.

Há nove anos, em 2000, Roseana Sarney assinou um convênio com o Ministério da Integração Regional no valor de R$ 3000.000.000,00 e destinou R$ 150.000.000,00 para a Gautama, de Zuleido Veras, e outros R$ 150.000.000,00 para o OAS para que as duas empreiteiras baianas juntas duplicassem o sistema Italuís.

Resultado; a obra foi licitada legalmente dentro dos parâmetros regulares de uma concorrência pública. Só que ela, a obra, não foi feita e o dinheiro tomou doril! Sumiu! No caso da Gautama, pelo menos um dos cento cinquenta milhões voltou ao Maranhão, vestido de doação de Zuleido Veras para a campanha eleitoral de Roseana Sarney em 2006!

Agora em 2009, novamente Roseana através de um convênio com o governo federal, dessa vez pelo Ministério das Cidades, vai tomar emprestado mais R$ 255.000.000,00 (duzentos e cinquenta e cinco milhões de reais) para dizer que realizará as obras que deveriam ter sido feitas no começo deste século. E agora sem licitação e concorrência pública, exatamente da forma como Ricardo Murad gosta de trabalhar.

Três perguntas que não podem calar para terminar esta primeira matéria do blog sobre a série “A farra das dispensas de licitação de Roseana Sarney”:

1) Será que Ricardo vai atuar agora da mesma forma que atuou em 2003 e 2004 no comando da Gerência Metropolitana, pelo qual ele responde a processo na justiça por formação de quadrilha e improbidade administrativa?

2) Será quem em 2010 Roseana Sarney também receberá alguma doação financeira para sua campanha eleitoral a governadora de Estado de uma empreiteira que será contratada para as obras de recuperação do Italuís, da mesma forma que recebeu R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) da Gautama de Zuleido Veras em 2006? E

3) Será que a soma do dinheiro liberado em 2000 e agora em 2009 (R$ 540 milhões + R$ 255 milhões) ou seja R$ 795 milhões, quase um bilhão de reais, não daria para resolver todos os problemas de abastecimento de água da ilha de São Luís por todo o século 21?

Entendo que o Ministério Público Federal deveria ficar de olho para fiscalizar esse novo convênio e exigir a responsabilidade civil e criminal de Roseana Sarney e das empreiteiras baianas OAS e Gautama na restituição desta verba gasta sem que houvessen sido realizadas as obras de ampliação do sistema Italuís nos primeiros anos desta década.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Elvis

A primeira transmissão de Tv via satélite nos Estados Unidos aconteceu em 1973. Foi um show de Elvis Presley transmitido de costa á costa nos EUA. Elvis cantou a música "My way", eternizada por Frank Sinatra. Veja o vídeo:
Notas

Marina presidente

Muita gente no Maranhão está interessada em participar do Movimento Marina presidente. Só que existe um grande entrave a esta participação popular que a coordenação nacional da campanha de Marina vai ter que superar. O Partido Verde no Maranhão é uma sub-legenda do grupo Sarney alugada para o deputado federal José Sarney Filho. Zequinha, como é conhecido erm São Luís, vai conduzir o PV/MA para uma alinça regional com o PMDB e apoiar a candidatura de sua irmã Roseana ao governo do Estado.

Ninguém será manipulado por Zequinha para apoiar Marina e Roseana, porque o candidato a presidente do grupo Sarney será o candidato apoiado por Lula. Se esta questão não for superada logo, a campanha de Marina no Maranhão vai desandar e só receberá apoio formal do PV sarneysista.

Isto se Zequinha, obedecendo ao pai, não cristianizar Marina Silva para apoiar Dilma ou Ciro. Quem viver, verá!

Sarney e o PSB

Na CPI dos anões do orçamento, no início dos anos 90, dois deputados federais escaparam fedendo das investigações por conta de suas notórias ligações nebulosas com empreiteiras. Na época os dois escaparam da CPI graças a um acordo entre duas grandes lideranças políticas nacionais: José Sarney e Miguel Arraes. A filha do primeiro e o neto do segundo acabaram de fora da CPI e tiveram seus mandatos preservados.

Os dois hoje são governadores e caso a situação eleitoral aperte no Maranhão não será surpresa se o governador pernambucano quiser meter sua colher no PSB do Maranhão para ajudar o grupo Sarney. Olho vivo!

Em 1994 Miguel Arraes quis interferir no PSB maranhense que apoiava a candidatura de Epitácio Cafeteira ao governo do Estado. Na época o candidato a vice de Cafifa era o deputado estadual do PSB, Juarez Medeiros. Se não fosse a reação enérgica do então deputado federal maranhense, José Carlos Saboia, que ameaçou denunciar o acordo de Arraes e Sarney na tribuna da Câmara Federal,o governador pernambucano teria intervido no PSB maranhense.

Mídia amiga

Os jornais de hoje de São Luís publicaram um release, provavelmente da Secretaria Estadual de Saúde, apresentando Ricardo Murad como o paladino da justiça. No texto Ricardo disse que quer fiscalizar irregularidades que estão sendo cometidas na distribuição de leite em 89 municípios maranhenses com IDH mais baixo.

O release esconde a verdade dos fatos: na realidade Ricardo quer incluir municípios com prefeitos ligados a ele no programa e sua secretaria engavetou uma sindicância que apurava irregularidades cometidas pelo Laticínio São José na distribuição de leite.

A sindicância foi iniciada ainda no governo de Jackson Lago, a pedido do Conselho de Segurança Alimentar (Consea/MA). A reunião de Ricardo com o Consea/MA e uma representante do governo federal, responsável pelo financiamento da maior parte do programa, foi dura e Ricardo foi obrigado a escutar pesadas críticas contra sua atuação com secretário por mais de duas horas e meia.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Recebi um E-mail do pesquisador Jorge Rodini do Instituto Engráscia Garcia de pesquisas, de Ribeirão Preto, SP. Ele comentou a pesquisa do Ibope para a presidência da República.

"Esta recente pesquisa IBOPE revela um desgaste na candidatura Dilma , um avanço na de Ciro Gomes, uma melhora na de Marina Silva e Serra mantendo uma liderança inquestionável.

Ciro, ao mostrar-se seguro, parece arrogante. Pode tirar votos de Dilma e Serra no Nordeste , mas sempre desconfiamos que ele vá mostrar seu lado machista em excesso e sua auto-suficiência em demasia..

Marina, de fala mansa , agrada ao eleitorado. Precisa debatar temas nacionais , e mantendo com pano de fundo , o Meio-Ambiente. Tem a vantagem de ter se desgarrado do PT, mantido seu idealismo e conviccões. Sua origem humilde, gênesis acreana e companhia de Chico Mendes revela ser do PT puro, original e não do PT genérico que afasta suas melhores cabeças.

Heloisa Helena com seu discurso aguerrido, porém arcaico , perde o encanto. Dilma emPACa. A ausência de cargos eletivos em sua carreira política é um entrave. No momento é o apoio de Lula que a sustenta. A imagem percebida de Dilma pelos eleitores é de uma candidata que precisa da bençâo de seu chefe.

Serra surfa por possuir recall elevado das últimas eleições e , especialmente, pelo seu desempenho com Ministro da Saúde corajoso que colocou os genéricos nas prateleiras das farmácias.

Lula flutua. Sua alta popularidade, apesar dos diversos deslizes de seus companheiros e dele próprio, concede ao Presidente uma posição altaneira nesta eleição. Sabe que se pudesse ser candidato, estaria eleito. Porém, ao colocar um bigode maranhense em sua biografia, Lula abdicou de vez do PT de Marina , Chico Mendes e tantos outros."

Jorge Rodini
O retrato de um déspota

O secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad, passou por um sério constragimento hoje na reunião do Consea/MA (Conselho de Segurança Alimentar do Maranhão). Ele chegou mais de uma hora atrasado e ao entrar na reunião foi logo dizendo: "vamos resolver as coisas logo porque eu só tenho dez minutos para esta reunião".

A reunião foi convocada para sanar alguns problemas que vem ocorrendo no programa do leite, bancado principalmente pelo governo federal, que entra com R$ 25 milhões por ano. Ainda no governo de Jackson Lago foi solicitada uma auditoria para fiscalizar desvios no programa, praticados pelo Laticínio São José.

O programa atende hoje cerca de 90 municípios com IDH mais baixo, com ênfase para comunidades quilombolas. Logo no início da reunião, Ricardo reclamou que "os meus prefeitos não estão sendo atendidos" e propôs a inclusão dos municípios de São José de Ribamar e Paço do Lumiar.

A reunião acabou tumultuada quando Murad quis impedir que os representantes das secretarias estaduais votassem no que não foi atendido. O Consea criticou a postura de Flavia Abdala, gestora do programa do leite e ligada à Secretaria Estadual de Saúde, que arquivou uma sindicância que apurava irregularidades cometidas pelo Laticinio São José, aberta ainda na época do governo Jackson a pedido do próprio Consea/MA.

Dos dez minutos prometidos por Ricardo, a reunião acabou se prolongando por duas horas e meia. O todo poderoso Murad teve que escutar pesadas críticas dos movimentos populares à sua prática arrogante e imperial. Não conseguiu colocar "seus" municípios na programa do leite e deixou uma péssima impressão junto ao Consea/MA.
O PT vai de Sarney

A visita ao Maranhão ontem do ex-chefe da Casa Civil do Brasil, José Dirceu, deixou transparente a posição do partido de Lula no Maranhão: vai se coligar em 2010 com o PMDB de Roseana Sarney e ponto final. Zé Dirceu afirmou ontem que o vai definir a posição do PT no Maranhão para 2010 será o processo eleitoral interno do PT, que acontece no próximo dia 22 de novembro.

Sete chapas concorrem as eleições do PT/MA: três que apoiam a coligação com o grupo Sarney: a de Raimundo Monteiro, apoiado por Washington de Oliveira; a de Edmilson Carneiro, apoiado pelo secretário estadual do Trabalho, José Antônio Heluy; e a da petista Fransuíla Soares, de Balsas.

Uma chapa defende a candidatura própria do PT a governador, que é a de Rodrigo Comerciário, ex-presidente do Sindicato dos Comerciários de São Luís.

Já as chapas comandadas por Augusto Lobato, com o apoio do atual presidente do PT, Domingos Dutra,e dos ex-deputados Jomar Fernandes e Terezinha Fernandes; a de Bira do Pindaré, com o apoio de Manoel da Conceição e dos ex-secretários de Jackson Lago, Silvio Bembem, Márcio Jardim e Franklin Douglas: e a chapa de Domigos Dutra, que não tem candidato a presidente do PT, são radicalmente contrárias à coligação com o grupo Sarney.

O grande problema enfrentado por Dutra, Lobato e Pindaré é o apoio ostensivo, e dizem até financeiro, dos governos estadual e federal às chapas do PT que querem coligar com Roseana em 2010.

Se o grupo de Washington for o vencedor das eleições internas do PT em 22/11 ficaremos na expectativa do posicionamento do PC do B e do PSB para 2010: Flávio Dino será candidato a governador do Maranhão sem o apoio do PT? O PSB se coligará ao PC do B sem o PT?

A visita de José Dirceu ao Maranhão ontem colocou a sucessão de Roseana em banho maria. Como a candidatura de Dilma Roussef foi abalada pela entrada de Marina Silva na disputa presidencial, entendo que tanto Lula como Sarney e Michel Temer vão acelerar as negociações para o apoio oficial do PMDB à Dilma, inclusive fechando o nome de Temar como candidato a Vice-Presidente.

O apoio oficial do PT ao grupo Sarney no Maranhão não só dará um tempo maior no horário político eleitoral gratuito como dá uma tintura reciclada à oligarquia Sarney, com a credibilidade em baixa devido aos seguidos escândalos de corrupção e nepotismo no Senado Federal.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Energia mais cara do Brasil

A deputada estadual Gardênia Castelo, do PSDB, convidou o deputado federal Cleber Verde para participar de uma audiência pública da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembléia legislativa do Maranhão no próximo dia 1.° de outubro. A audiência debaterá a absurda tarifa cobrada pela CEMAR no Maranhão para fornecimento de energia elétrica, que é a tarifa com o segundo preço mais caro do Brasil. Verde participa da CPI da Energia Elétrica no Congresso Nacional. Não se entende como o povo de um Estado que posuui uma das mais baixas rendas per capita do país possa pagar uma tarifa de energia tão cara, que custa quase o dobro do valor cobrado em Brasília e em São Paulo. E o Ministro das Minas e Energia, Édison Lobão, ainda é maranhense! Será que Lobão em seu ministério defende os interesses dos consumidores maranhenses? Qual a justificativa que a CEMAR apresenta para cobrar uma tarifa tão cara no Maranhão? Bela iniciativa da deputada Gardênia Castelo e do deputado Cleber Verde.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

No final de julho de 2009, durante o vendaval que varreu o Senado Federal, o historiador Marco Antônio Villa, professor da Universidade Federal de São Carlos, escreveu este artigo na página 3, do 1.° caderno do jornal Folha de São Paulo, na seção Tendências e Debates. O historiador traça um perfil do político que ele considera o último grande coronel da política nordestina e brasileira.


O outono do patriarca
MARCO ANTONIO VILLA

Na presidência do Senado, José Sarney conseguiu o impossível: ser pior do que alguns dos seus antecessores, como Antonio Carlos Magalhães, Jader Barbalho e Renan Calheiros, que acabaram defenestrados. Todos negaram as acusações que pesavam sobre eles. Pareciam inabaláveis, tal qual Sarney.
Porém, o velho coronel do Maranhão está conseguindo se manter no cargo por mais tempo do que seus velhos amigos. Afinal, como disse o presidente Lula, ele não é igual a nós, ele tem uma história. Lula tem razão: Sarney não é igual à maioria dos brasileiros. Ainda bem. Quem é Sarney? José Ribamar Ferreira de Araújo Costa nasceu em 1930, ano da revolução que mudou o Brasil. Paradoxalmente, ele é o símbolo maior do atraso, do passado que nunca passa, da antirrevolução.
Fez a pequena política local até chegar, em 1958, ao Rio de Janeiro, como deputado federal, ainda jovem, eleito pela UDN. Participou pouco dos debates, nunca foi um bom orador. A voz soava mal, as ideias eram ultrapassadas e sem nenhuma novidade, o raciocínio era lento e era pobre sua linguagem gestual. Não tinha nada que o destacasse.
Na grave conjuntura de 1963-1964, raramente apareceu nos debates. Omitiu-se. Preferiu as sombras, aguardando hora mais tranquila. Candidatou-se ao governo do Maranhão em 1965 e venceu com o apoio dos novos donos do poder, os militares. Depois foi para o Senado -e lá ficou por quase 15 anos.
Se consultarmos os anais daquela Casa, raramente veremos Sarney participando de um debate. A sua preocupação central não eram os grandes problemas nacionais, nada disso. Seu pensamento e sua ação política estavam na província. Controlava as nomeações e os recursos orçamentários. Dessa forma, conservou sua força política local graças à influência que mantinha na capital federal.
Mas o coronel era hábil. Não queria ser um novo Vitorino Freire, o mandão que o antecedeu. Buscou dar um verniz intelectual ao poder discricionário que exercia na província. Isso pode explicar a publicação de romances e contos, a entrada para a Academia Brasileira de Letras e o estabelecimento de amplo círculo de relações sociais com intelectuais e jornalistas.
No Sul do país mostrava seu lado cosmopolita, falando de poesia e filosofia. Na província voltava ao natural, não precisava de nenhum figurino: era o senhor do baraço e do cutelo. Que digam os oposicionistas -e foram tantos- que sofreram a violência do mandão local. Lá, durante mais de 40 anos de poder, o interesse público nunca esteve separado do interesse da família Sarney e de sua parentela.
Por um acaso da história, acabou presidente da República. Durante os comícios da Aliança Democrática, em 1984, ficava escondido no palanque. Quando era anunciada a sua presença, era vaiado impiedosamente. Afinal, servira fielmente o regime militar por 20 anos.
A sua Presidência foi um desastre completo. Três planos de estabilização econômica. E todos fracassaram. Terminou o governo com a inflação próxima de uma taxa de 100% ao mês. Omitiu-se quanto aos principais problemas. No ocaso do governo foi instalada no Congresso Nacional uma CPI para apurar casos de corrupção, com graves acusações à gestão presidencial e a sua família, em especial seu genro, Jorge Murad.
O desprestígio era tão acentuado que nenhum candidato às eleições presidenciais de 1989 -e eram mais de uma dúzia- buscou seu apoio. Mas o oligarca sobreviveu. Buscou um mandato de senador no recém-criado Amapá. Precisava como nunca da imunidade parlamentar.
O tempo passou e a memória nacional foi se apagando, como sempre. O oligarca, em uma curiosa metamorfose, transformou-se em estadista. Encontraram até qualidades no seu período presidencial. Não tinha sido um indeciso. Não, nada disso. Fora um conciliador, avalista da transição para a democracia.
No governo Lula, mandou mais do que na sua Presidência. Conseguiu até depor o governador Jackson Lago, que teve a ousadia de vencer nas urnas a sua filha. A sua cunhada, presidente do TRE, anulou a eleição e, pior, obteve a chancela do TSE.
Contudo, não há farsa que perdure na história. O que foi revelado pela mídia nacional não é nenhuma novidade para os maranhenses. Lá, o rei está nu há muito tempo.
No encerramento do semestre legislativo, Sarney discursou para um plenário vazio. Não houve palmas ou apupos. Desceu e caminhou pelo corredor, silenciosamente. Nas galerias não havia um simples espectador. O velho oligarca estava só. Parou e, como se dissesse adeus, dirigiu-se para seu gabinete: a tragicomédia está chegando ao fim.

MARCO ANTONIO VILLA, 54, é professor de história da UFScar (Universidade Federal de São Carlos) e autor, entre outros livros, de "Jango, um Perfil".
Culto à personalidade

Caro leitor. Você sabia que o político que mais cultua a própria personalidade no Brasil é o senador pelo Amapá, José Sarney. São dezenas e dezenas de ruas, avenidas, escolas, bibliotecas com o nome do ex-presidente da República estampado. Muitas destes nomes foram dados por iniciativa própria de associações de moradores, vereadores, etc e tal. Mas nunca se soube de uma demonstração pública do homenageado para que a lei fosse cumprida. Sarney não só gosta deste tipo de homenagem como incentiva todas as iniciativas.

Vejam o teste para o oitavo integrante do CQC, enviado pelo estudante Marcos Ponts Nogueira. Infestação Sarney.



Um amigo enviou para meu e-mail uma relação extensa com essa verdadeira infestação do nome Sarney no Maranhão e no Brasil. Confira agora a relação:


“SARNEYLÂNDIA – O REINO DA OLIGARQUIA SARNEY”

A Lei nº 6.454/77 de 24 de outubro de 1977, sancionada pelo presidente general Ernesto Geisel que dispõe sobre a denominação de logradouros, obras, serviços e monumentos públicos e dá outras providencias, trás no Art. 1º a proibição em todo território nacional de atribuir nome de pessoa viva a bens públicos de qualquer natureza.


Depois de uma rápida pesquisa realizada no Maranhão e outros estados brasileiros, constatamos o quanto o ex-presidente da República e atual senador pelo Amapá, José Sarney, cultua seu próprio nome e dos membros da sua famílias, ferindo a própria legislação federal acima. Vejam o que encontramos:


1. JOSÉ SARNEY (MARANHENSE, MAS ATUAL SENADOR DO ESTADO DO AMAPÁ E “ATUAL” PRESIDENTE DO SENADO FEDERAL )

· Município Presidente Sarney (Maranhão)
· Ponte José Sarney (São Luis – MA, Centro- ligando a Beira Mar ao São Francisco)
· Biblioteca Presidente José Sarney (São Luis – MA, UNICEUMA- Renascença)
· Biblioteca Municipal José Sarney (São Luis – MA, Bairro de Fátima)
· Farol da Educação José Sarney (São Luis- MA, Av. Grande Oriente -Renascença)
· Fundação José Sarney / Memorial José Sarney (São Luis – MA, Rua da Palma, 502, Desterro)
· Centro de Instrução do Mar José Sarney (Raposa - MA, Porto do Braga)
· Centro Cultural Acadêmico José Sarney (Caxias – MA, Praça do Panteon, 600 – Centro CEP 65.602-000 – Antiga Companhia Têxtil Caxiense)
· Centro Cultural José Sarney (Vitória do Mearim - MA)
· Escritório Político (São Luis- MA, Rua dos Caiapós, 9 Quadra 21 Calhau)
· Centro de Ensino Médio José Sarney (Coelho Neto – MA, Rua Dr. Paulo Ramos, s/n - Centro)
· Unidade Escolar Presidente Sarney (Lajeado Novo - MA)
· Unidade Integrada Presidente Sarney (Gov. Eugênio Barros- MA)
· Caixa Escolar Gov. José Sarney (Bom Jardim – MA, Rua Alm. Barroso, 256)
· Unidade Integrada Doutor José Sarney (Água Doce do Maranhão- MA, rua Nazaré s/n)
· Unidade Integrada Presid. José Sarney (Chapadinha - MA)
· Unidade Escolar Gov. José Sarney (Caxias - MA)
· Unidade Integrada José Sarney (Timon – MA, Rua Aquiles Lisboa)
· Centro de Ensino Médio Senador José Sarney (Santa Inês- MA, Av. Brasília, 290- Centro)
· Complexo Estadual de Ensino Fundamental e Médio (C.E.E.F.M.) Presidente José Sarney (Bacabal – MA, Rua Osvaldo Cruz,s/n)
· Caixa Escolar Presidente José Sarney (Pinheiro – MA, Av. Tarquínio Lopes, 10)
· Caixa Escolar Governador Sarney (Bacabal – MA, Rua D. Carneiro, 1259)
· Escola Municipal Presidente José Sarney (Cidelândia – MA, Rua José
Sarney , s/n)
· Escola Municipal José Sarney (Coelho Neto – MA, Av. Mal. Cordeiro de Farias, s/n- Centro )
· Escola Municipal Pres. Sarney (Icatu - MA)
· Educacional Presidente José Sarney (Pinheiro- MA, Av. Getulio Vargas, 10 )
· Unidade Integrada. Governador Sarney (Bacuri – MA, Povoado de Bacuri da Linha)
· Unidade Integrada Senador José Sarney (Lagoa do Mato, Rua do Sol, s/n)
· Hospital e Maternidade Governador José Sarney (Santa Inês – MA, Av. Elias Haickel,21)
· Vila Sarney (São Luis – MA, Maracanã)
· Praça José Sarney (São Luis - MA, Vila Palmeira)
· Praça José Sarney (Tutóia - MA)
· Praça José Sarney (Pinheiro - MA)
· Praça José Sarney (Santa Helena - MA)
· Praça José Sarney (Governador Archer – MA, Centro)
· Rua Presidente Sarney (Paço do Lumiar - MA)
· Rua José Sarney (Zé Doca - Ma)
· Rua José Sarney (Açailandia - MA)
· Rua Sarney (Sucupira do Norte- MA)
· Rua José Sarney (Caxias - MA, 65.609-200)
· Rua José Sarney (Santa Luzia - MA)
· Rua Gov. Sarney (Bacabal – MA, Centro)
· Rua Açude José Sarney (Codó- MA, Centro)
· Rua José Sarney (Cidelândia - MA)
· Rua Gov. José Sarney (Matinha - MA)
· Rua José Sarney (São Luis- MA, Centro - Beira Mar)
· Rua José Sarney (São Luis – MA, Retiro Natal)
· Rua José Sarney (São Luis- MA, Santa Cruz)
· Rua José Sarney (São Luis- MA, Coroadinho)
· Rua José Sarney (São Luis- MA, Fátima)
· Rua José Sarney (São Luis- MA, Pão de Açúcar )
· Rua José Sarney (São Luis- MA, São Francisco)
· Rua José Sarney (São Luis- MA, Tirirical)
· Rua José Sarney (São Luis – MA, Anil, 65.055-300)
· Rua José Sarney (São Luis- MA, Vila Nova, 65.076-641)
· Rua Presid. José Sarney (São Luis – MA, Vila Nova)
· Rua Pres. José Sarney (São Luis – MA, Vila Embratel)
· Travessa José Sarney (São Luis – MA, Bairro de Fátima, CEP 65.030-820)
· Travessa José Sarney (São Luis – MA, Pão de Açúcar)
· Travessa José Sarney (São Luis – MA, Areinha)
· Travessa José Sarney (São Luis – MA , Anil , 65.049-130)
· 1ª Travessa José Sarney (São Luis- MA, Fátima)
· 2ª Travessa José Sarney (São Luis – MA, Fátima)
· 3ª Travessa José Sarney (São Luis – MA, Fátima)
· 4ª Travessa José Sarney (São Luis –MA, Fátima)
· Travessa Sarney (São Luis – MA, Janaina)
· 1ª Travessa José Sarney(Chapadinha - MA)
· Travessa José Sarney (Caxias – MA, CEP 65.609-210)
· Travessa José Sarney (Codó –MA, CEP 65.400-000)
· Avenida José Sarney (São Luis – MA, Vila Nova – Ponta do Bonfim)
· Avenida José Sarney (São Luis – MA, Bom Jesus)
· Avenida José Sarney (São Luis – MA, São Cristovão/Tirirical)
· Avenida José Sarney (São Luis – MA, Beira Mar / Jenipapeiro/ Camboa)
· Avenida José Sarney (São Luis- MA, Mauro Fecury II)
· Avenida Presid. José Sarney (São Luis – MA, Coroadinho)
· Avenida José Sarney (São Luis – MA, João Paulo)
· Avenida José Sarney (Santa Inês – MA)
· Avenida José Sarney (Chapadinha – MA, Centro)

2. JOSE SARNEY - FORA DO ESTADO

· Rodovia Presidente José Sarney (Aracaju – SE, Praia do Mosqueiro, conhecida com a Praia do Sarney)
· Rua José Sarney (N.S. do Socorro- SE, CEP 49.160-000- cruzamento com a Rua Maria Elenilde de Jesus e a Travessa Antonio Carlos)
· Rua José Sarney (Guarapari – ES, CEP 29.222-510, próximo à Rov. Do Sol – ES 060)
· Rua José Sarney (Belém – PA, Bairro da Cabanagem, entre a Rua do Tubo e a Pass. Silva Castro)
· Rua José Sarney (Manaus – AM, Coroado , CEP 69.082-641, entre as Ruas Bambolê e João Bosco)
· Avenida José Sarney (Anápolis – GO, entre a Av. Pedro Ludovico e a Av. Brasil Sul)
· Rua Pres. José Sarney (Lençóis Paulista – SP, entre a Rua Orígenes Lessa e Rua Prof. Arnaldo Niskier)
· Rua Pres. José Sarney (São Lourenço da Mata- PE, Bairro Nova Tiúma, CEP 54.727-240)
· Travessa Pres. José Sarney (Irati – PR, CEP 84.500-000, entre a Rua Adilson Funaro e a Rua João Bandeira Maluf)
· Travessa José Sarney (Rio de Janeiro – RJ, Penha Circular, cruzando a Rua Dom Eugenio de Araujo Salles )
· Avenida José Sarney (Itapetinga – BA, CEP 45.700-000, conhecida também de Avenida Américo N. de Sousa)


3. ROSEANA SARNEY(FILHA E ATUAL GOVERNADORA DO ESTADO)

· Tribunal de Contas do Estado – Palácio Governadora Roseana Sarney(São Luis- MA, Bairro do Calhau)
· Complexo Viário do Bacanga – Avenida Roseana Sarney / Passarela do Samba (São Luis – MA, Madre Deus)
· Estádio Roseana Sarney (São Luis – MA, Viva da Cidade Operária)
· Parque Roseana Sarney (São Luis - MA)
· Vila Roseana Sarney (São José de Ribamar - MA)
· Vila Roseana Sarney (Itapecuru Mirim- MA)
· Clinica Roseana Sarney (Rosário – MA, Rua Benedito Leite)
· Caixa Escolar Roseana Sarney (São Luis – MA, Rua 6 , São Francisco)
· Unidade .Integrada Roseana Sarney Murad (São Luis – Ma, Rua 11, São Francisco)
· Caixa Escolar Roseana Sarney (Governador Archer- MA)
· Centro de Ensino Fundamental. Gov. Roseana Sarney (Itapecuru Mirim- MA)
· Unidade Integrada Roseana Sarney (João Lisboa - MA)
· Unidade Escolar Roseana Sarney (Penalva - MA)
· Caixa Escolar Roseana Sarney (Bacabal – MA, Rua Sargento Mauricio s/n)
· Escola Municipal Roseana Sarney (Olho D’água das Cunhas- MA)
· Escola Municipal Governadora Roseana Sarney (Campestre do Maranhão - MA)
· Escola Municipal Roseana Sarney (Barreirinhas- MA)
· Escola Municipal Roseana Sarney (Monção - MA)
· Escola Municipal Rural Roseana Sarney (Capinzal do Norte – MA, Povoado Santa Cruz, BR 135)
· Jardim de Infância Roseana Sarney (Paço do Lumiar - MA)
· Rua Roseana Sarney (São Luis – MA, São Francisco)
· Rua Roseana Sarney (São Luis – MA, Vila Maracujá)
· Travessa Roseana Sarney (São Luis - MA, São Francisco)
· Avenida Gov. Roseana Sarney (Barra do Corda - MA)
· Avenida Gov. Roseana Sarney (Central do Maranhão - MA)


4. MARLY SARNEY(ESPOSA)

· Maternidade Marly Sarney (São Luis – MA, Av. Jerônimo de Albuquerque , COHAB Anil I)
· Posto de Taxi Marly Sarney (São Luis – MA, Av Jerônimo de Albuquerque, Cohab Anil I)
· Sala de Imprensa Marly Sarney (São Luis – MA, localizada no Fórum Desembargador Sarney)
· Escola Comunitária Marly Sarney (São Luis – MA, Rua 42, q d27, n 28, Jd. São Cristovão)
· Centro Educacional Marly Sarney (São Luis – MA, Jd. São Cristovão)
· Unidade Integrada Marly Sarney (Alto Parnaíba - MA)
· Unidade Integrada Marly Sarney (Paço do Lumiar - MA)
· Caixa Escolar Marly Sarney (Lago da Pedra - MA)
· Escola Municipal Marly Sarney (Imperatriz – MA, Rua Aquiles Lisboa, Mercadinho)
· Unidade Integrada Marly Sarney (Lago da Pedra – MA, Rua Cel. P. Bogéa, 312 )
· Rua Marly Sarney (Grajaú – MA, Centro)
· Rua Marly Sarney (Imperatriz- MA, Nova Imperatriz)
· Rua Marly Sarney (Açailandia - MA)
· Rua Marly Sarney (São Luis – MA, HAB. Nice Lobão)
· Rua Marly Sarney (São Luis – MA, APACO)
· Rua Marly Sarney (São Luis – MA, Retiro Natal)
· Rua Marly Sarney (São Luis – MA, Fátima)
· Rua Marly Sarney (São Luis – MA, Santa Cruz)
· Rua Marly Sarney (São Luis – MA, Vila Ivar Saldanha)
· Av. Marly Sarney (São Luis – MA, APACO)

5. JOSÉ SARNEY FILHO (FILHO E DEPUTADO FEDERAL)

· Vila Sarney Filho I e II (São José de Ribamar - MA)
· Escola José Sarney Filho (São Luis- MA, Barreto )
· Escola Municipal Sarney Filho (São José de Ribamar – MA, Vila Sarney Filho)
· Unidade Integrada Sarney Filho (Raposa - MA, Av. Principal, s/n)
· Ponte Sarney Filho (São Luis – MA, Rio Anil- Bequimão)
· Rua Zequinha Sarney (São Luis- MA)
· Rua Sarney Filho (São Luis – MA, Calhau)
· Rua Sarney Filho (São Luis – MA, Coroadinho)
· Rua Sarney Filho (São Luis – MA, João de Deus)
· Rua Sarney Filho (São Luis – MA, São Bernardo)
· Rua Sarney Filho (São Luis – MA , Anil)
· Rua Sarney Filho (São Luis – MA, Barreto)
· Rua Sarney Filho (São Luis- MA, Tirirical )
· Rua Sarney Filho (São Luis – MA, Vila Mauro Fecury I)
· Rua Sarney Filho (São Luis – MA, Vila Palmeira)
· Rua Sarney Filho (São Luis – MA, Vila Janaina)
· Rua Sarney Filho (São Luis – MA, Rio Anil - Bequimão)
· Rua Sarney Filho (Raposa – MA, Centro)
· Avenida Sarney Filho- 1ª (São Luis – MA, Vila Embratel)
· Avenida Sarney Filho- 2ª (São Luis – MA, Vila Embratel)
· Avenida Sarney Filho (São Luis – MA, Janaina)
· Avenida Sarney Filho (São Luis- MA, Vila Riod)
· Avenida Sarney Filho (São Luis – MA, Coroadinho)




6. FERNANDO SARNEY (FILHO, EMPRESÁRIO DE VARIOS SETORES E ATUAL VICE-PRESIDENTE PARA REGIÃO NORTE DA CBF)

· Rua Fernando Sarney (São Luis - MA)
· Rua Fernando Sarney (São Luis – MA, Vila Janaina)
· Rua Fernando Sarney (Santa Inês - MA)


7. KIOLA SARNEY (MÃE - FALECIDA)

· Vila Kiola Sarney (São José de Ribamar - MA)
· Vila Kiola I e II (São Luis - MA)
· Rodoviária Kiola Sarney (São Luis- MA)
· Sala Kiola Sarney (São Luis – MA, localizada na Defensoria Pública)
· Complexo Estadual de Ensino .Fundamental e Médio (C.E.E.F.M.) Kiola Sarney (São Bento - MA)
· Expresso Pinheirense – Kiola Sarney(Pinheiro – MA, Rua 20 qd 20 – Bairro Kiola Sarney )
· Metalúrgica Kiola (São Luis- MA, Estrada de Ribamar, s/n - km 05, (98)32376363)

8. SARNEY COSTA (PAI - FALECIDO)

· Fórum Desembargador Sarney Costa (São Luis – MA, Av. Carlos Cunha, 3676)
· Fórum Desembargador Sarney de Araujo Costa (Pinheiro – MA, Pça José Sarney – Centro, 65.200-000)
· Unidade Integrada Desembargador Sarney (São Luis – Ma, Rua 6 São Francisco)
· Unidade Escolar José Sarney Costa (Pindaré Mirim- MA, Cmte. Pedro Melo, s/n)
· Vila Desembargador Sarney Costa (São José de Ribamar - Ma / São Luis – MA, Próximo à Cidade Olímpica)
· Rua Desembargador Sarney Costa (Paulo Ramos - MA)
· Rua Desemb. Sarney Costa (São Luis – MA, Apeadouro)
· Rua Desemb. Sarney Costa (São Luis – MA, Fátima)


9. OUTROS MEMBROS DA FAMILIA SARNEY

· Centro de Ensino Fundamental. Fernanda Sarney (Bom Jardim - MA) - NETA
· Caixa Escolar Roberto Sarney (Paulo Ramos – MA, Rua Des. Sarney, s/n) - SOBRINHO
· Hospital Dr. Carlos Macieira/ Hospital do Servidor(São Luis – MA, Av. Jerônimo de Albuquerque, s/n) – SOGRO- FALECIDO
· Hospital do Aparelho Locomotor “Carlos Macieira”- Associação das Pioneiras Sociais (São Luis – MA, Av. Gov. Luis Rocha, Fé Em Deus)
· Centro de Saúde Dr. José Carlos Macieira (São Luis – MA, Sacavém).
· Escola Municipal Simone Macieira (Açailandia – MA, Rua Medeiros Neto, s/n) - CUNHADA
· Rua Doutor Carlos Macieira (São Luis – MA, Alemanha) –sogro- falecido
· Rua Dr. Emiliano Macieira (São Luis – MA, Vila Ivar Saldanha) - CUNHADO
· Rua Murilo Sarney (São Luis- MA, Jardim Primavera II) - IRMÃO
· Rua Lucy Sarney (São Luis – MA, Santa Clara) – IRMÃ - FALECIDA
· Rua Evandro Sarney (Açailandia - MA) - IRMÃO
· CAIC Embaixador Araujo Costa (São Luis – MA, Cidade Operária) – NÃO IDENTIFICADO
Pesquisa CNT/Ibope

Pesquisa do CNT/Ibope divulgada hoje nos meios de comunicação acendeu a luz amarela de atenção e perigo nas hostes petistas. A entrada da senadora Marina Silva (PV/AC) na corrida presidencial atingiu em cheio a candidatura da ministra Dilma Roussef. Na última pesquisa realizada em junho passado o candidato do PSDB, José Serra, liderava com 38% das intenções de votos, seguido pela ministra Dilma Roussef (PT) com 18%. Em 3.° lugar aparecia Ciro Gomes, do PSB, com 12% e em 4.° lugar Heloísa Helena, do PSOL, com 11%.

Na pesquisa realizada nos dias 11 e 12 de setembro em 142 municípios brasileiros e que entrevistou 2.002 eleitores, a situação é a seguinte: José Serra (PSDB) com 34%; Dilma Roussef (PT) e Ciro Gomes (PSB) empatam com 14%; Heloísa Helena, do PSOL, vem em 4.° lugar com 8% e Marina Silva do PV surge em quinto lugar om 6%.

Num segundo cenário eleitoral sem o nome de Heloísa Helena, do PSOL, Serra permanece na liderança com 35%, seguido de Ciro Gomes com 17%, de Dilma Roussef com 15% e Marina Silva com 8%.

A meu ver cinco questões principais estão atravancando a candidatura da ministra da Casa Civil: 1) ela não é carismática. Ao contrário, ela e é antipática e carrancuda; 2) na questão não encerrada com a ex-superintendente da Receita Federal, Lina Vieira, a opinião pública associou Dilma à figura da mentirosa; 3) a imagem do PT defendendo José Sarney com unhas e dentes no Senado Federal foi arranhada; 4) a popularidade de Lula continua alta porque sua imagem já é independente da o PT e de Dilma; e 5) A cara de Marina Silva é o rosto do povo brasileiro sofrido e suas palavras são sinceras e batem direto no coração popular.

Não será surpresa se um plano B estiver sendo formulado por Lula e o PT. Posso até estar equivocado, mas tudo leva a crer que a candidatura de Dilma está naufragando. E o pior é que o PT não tem nenhum nome para substituí-la: Antônio Palloci se queimou na opinião pública no caso do sigilo bancário do caseiro; Marta Suplicy não ganha nem na sua terra natal; o senador Suplicy não tem o perfil para ocupar cargos executivos; e outros nomes do PT só possuem expressão regional.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

perseguição implacável

Perseguuição implacável

Não tem jeito mesmo. Depois de cinco meses de sua saída da Secretaria de Segurança Cidadã, a dra. Eurídice Nóbrega Vidigal continua sendo alvo de calúnias e perseguição política por parte do Sistema Mirante/Mentira de comunicação. Há alguns dias ela foi prestar depoimento em um processo aberto na Secretaria de Segurança Pública e a TV Mirante escandalizou a notícia, afirmando que ela não quiz falar à imprensa na saída. Ainda ridicularizou o fato dela ter ido embora da Segup de taxi. A matéria tenta passar a idéia de que Eurídice já é culpada das acusações (sic) contra ela. O destaque dado à reportagem é similar à cobertura do depoimento de um bandido de alta periculosidade. Jornalismo de quinta categoria: leviano e mentiroso, um verdadeiro ataque frontal á condição de mulher e profissional competente da ex-secretária de Segurança Cidadã.

Zé Dirceu chega na quarta-feira

Estou curioso para saber o que o ex-ministro da Casa Civil de Lula vai defender amanhã em sua breve passagem pelo Maranhão. Pelo que sabe e se ouve falar na imoprensa nacional, Zé Dirceu está encarregado por Lula de tratar da questão eleitoral de 2010 e a montagem do palanque de Dilma Roussef nos Estados. Com a aproximção das eleições que escolherão o novo diretório regional do PT maranhense, fica a expectativa: 1) Lula vai apoiar a candidatura do grupo Sarney ao governo maranhense, de olho no apoio de Sarney à Dilma?; 2) O PT vai aderir a uma frente de esquerda com o PC do B e o PSB e apoiar o nome do deputado Flávio Dino a governador; 3) o PT de Lula vai apoiar a candidatura do ex-governador Josdé Reinaldo Tavares a Senador da República em oposição frontal aos interesses do grupo Sarney; e 4) Lula vai liberar o PT do Maranhão para escolher livremente seu caminho eleitoral em 2010?

São Paulo bobeou

O empate contra o Santo André anteontem tirou o meu tricolor da liderança da série A. Para desespero do meu amigo Aldionor Salgado, o coringão de Ronalducho levou uma piaba do Goiás. Descobri um novo torcedor do tricolor das Laranjeiras. É o brilhante advogado Rodrigo Lago que herdou o gosto pelo Fluzão do pai. Os jogadores do Flu já estão de cabeça baixa, olhamdo para os lados. Confesso que fiquei triste com aquele gol contra do zagueiro do tricolor. A cara de desespero dele depois da cabeçada certeira no ângulo do seu próprio gol deu pena! Vou secar o
Palestra depois de amanhã no Mineirão. O foguinho escapou fedendo na Vila Belmiro anteontem.

Cidade limpa e organizada

Depois de mais de cinco anos, visitei no domingo, a cidade de São José de Ribamar. Confesso que fiquei surpreso com a limpeza da cidade, meios fios e arvores pintadas de branco além do trânsito organizado. A cidade está muito bem sinalizada e deu a impressão que o prefeito Luiz Fernando Silva está fazendo uma boa administração. Repito: deu a impressão, porque não conheço em detalhes seu trabalho. Meu velho avô Nequinho, da minha querida Caxambu, no Sul de Muinas Gerais, dizia na década de 60 para mim, antes do golpe militar: "o que vale é o homem e não os partidos. Existem comunistas ladrões e direitistas honestos, embora o contrário prevaleça (comunistas honestos e direitistas ladrões). Homem de bem tem caráter, partidos só buscam o poder a qualquer preço", dizia ele.

Jackson tem toda a razão

Gostei da entrevista concedida pelo ex-governador Jackson Lago à rádio Capital no domingo e transcrita ontem pelo Jornal Pequeno. Sem dúvida nenhuma a comunicaçção foi o ponto mais fraco da administração de vinte e sete meses e meio de Lago. Não se investiu na formação de uma rede independente de mídia (rádio, Tv e jornal) que seria uma alternativa ao domínio esmagador do Sistema Mirante/Mentira e aliados no Maranhão. Ao optar por realizar pagamentos milhionários às TV's Mirante e Difusora, na prática o oligopólio sarneysista de comunicação foi financiado pelo próprio governo estadual para fazer uma das campanhas mais odiosas contra a democracia maranhense. No dia em que Jackson Lago foi afastado do governo, 17 de abril de 2009, a Secretaria de Comunicação do Maranhão pagou uma fatura de mais de R$ 700.000,00 (setecentos mil reais). Um verdadeiro absurdo!!

domingo, 20 de setembro de 2009

Pós-Sarney...

O deputado federal Flávio Dino, disse anteontem na convenção do PC do B em São Luís, ao responder à pergunta se ele era sarneysista: "Eu sou botafoguense e pós-Sarney." Bela resposta para quem não respondeu à indagação. Sarney não é passado. Ele é o presidente do Senado Federal, tem muita influência no Palácio do Planalto e consegiu cassar Jackson Lago para devolver o brinquedinho preferido da filha para ela. Infelizmente Sarney é a realidade nua e crua no Brasil, no Amapá e no Maranhão. Ele ainda é forte hoje e não se pode falar nele como se ele fosse passado. Com todo o respeito que o senhor merece deputado: continuar alimentando as suspeitas da forte ligação com Sarney é colocar em dúvida as reais intenções de sua candidatura a governador do Estado! Quanto a torcer pelo Botafogo, sou solidário a Flávio Dino. Quando morei no Rio de Janeiro por três anos na década de 80, o time de General Severiano tinha minha simpatia pela mística da camisa alvinegra de Nilton Santos, Garrincha, Didi, Quarentinha, Amarildo e Zagalo.

sábado, 19 de setembro de 2009

Notas

Novas idéias

O Partido dos Democratas do Maranhão está precisando urgentemente de um marqueteiro para orientá-los. Afirmar na televisão que o Partido dos Democratas é um partido de "novas idéias" é um verdadeiro insulto à inteligência dos maranhenses. O Partido dos Democratas foi montado em 2007 para suceder o Partido da Frente Liberal (PFL), criado em 1984 para compor a Aliança Democrática com o PMDB e eleger Tancredo Neves e José Sarney no colégio eleitoral; e o PFL por sua vez é uma dissidência do Partido Democrata Social (PDS) , que foi lançado no pacote de abril de 1977 para substituir a Aliança Renovadora Nacional (ARENA) criada em 1967 pelos militares. Democratas, PFL, PDS e ARENA são farinha do mesmo saco, constituídos pelos setores mais atrasados, conservadores e representantes da direita e do regime militar brasileiro que dirigiu o Brasil com mão de ferro de 1964 a 1985.

Nomes de peso

Não podemos esquecer que José Sarney se elegeu senador pela primeira vez representando o Maranhão pela Arena em 1970, foi reeleito em 1978 pelo PDS e depois se filiou ao PMDB para disputar o Colégio Eleitoral em 1985. Outro coronel da política brasileira, Antônio Carlos Magalhães, o ACM, já falecido, também foi da ARENA, depois do PDS e do PFL. Quem também foi da ARENA e do PDS são os ex-governadores de São Paulo e de Alagoas, Paulo Maluf e Fernando Collor de Melo. No Maranhão foram da ARENA Vitorino Freire e Henrique de La Rocque; da ARENA, do PDS e do PFL Alexandre Costa e Édison Lobão; só do PDS e PFL Zequinha Sarney, hoje no PV; e Ricardo Murad e João Alberto, ambos atualmente no PMDB; e só do PFL e PMDB, Roseana Sarney.

Propaganda antecipada

Ao mandar retirar dos jornais um convite do deputado estadual Edvaldo Holanda para os eleitores se filiarem ao PTC, o Ministério Público do Maranhão está usando dois pesos e duas medidas. É que no exato momento em que se discute nos bastidores o melhor nome para ser candidato a vice-governador na chapa da oligarquia, a TV Mirante está exibindo um VT promovendo o nome do prefeito de São José de Ribamar, Luís Fernando Silva. Todo o Maranhão sabe que o nome de Silva é o preferido do casal Roseana Sarney & Jorge Murad para ser o candidato a vice-governador em 2010. E ai MP/MA? Vamos tirar a venda dos olhos e fiscalizar os partidos da base aliada da oligarquia também!!

Volta aos Leões

Se o ministro Eros Grau tiver razão e todos os processos de cassação de governadores, prefeitos e parlamentares forem obrigados a passar pelos Tribunais Regionais Eleitorais de cada Estado, então é melhor o Supremo Tribunal Federal anular a decisão do TSE de cassar Jackson Lago e empossar Roseana Sarney. É uma questão apenas de justiça ou então o meio jurídico brasileiro vai entender que na realidade o ministro Eros Grau mudou radicalmente de posição porque existem três processos que pedem a cassação de Roseana Sarney esperando pauta no TSE. Fica a pergunta do deputado Domingos Dutra: Eros Grau é ministro do TSE e do Supremo ou vaqueiro da boiada de Sarney?

Melhores nomes

Continuo achando que a melhor forma de derrotar a oligarquia Sarney em 2010 no Maranhão é lançando dois ou três candidatos ao governo estadual. Citei os nomes de Jackson Lago e do deputado Flávio Dino porque são dois nomes que já estão sendo ventilados. E propus o nome do deputado federal Roberto Rocha, porque é o tucano de maior expressão do estado em condições de disputar o Palácio dos Leões.

Esperando a resposta

Mas depois de conversa com fontes ligadas ao PC do B, fiquei preocupado. Flávio Dino seria candidato a governador em oposição ao grupo Sarney? Se Lula mandar, será que o PT e o PC do B resistirão a uma pressão para apoiar o candidato a governador do Maranhão do grupo Sarney? Recentemente no Senado, Ideli Salvatti (PT/SC), Delcídio Amaral (PT/MT), João Pedro (PT/AM) e Inácio Arruda (PC do B/CE) votaram abertamente pelo arquivamento dos processos contra Sarney no Conselho de Ética. Flávio Dino já afirmou a muitos políticos do interior do Estado que possui livre trânsito com o grupo Sarney no Maranhão. Os verdadeiros democratas do Maranhão só podem acreditar nas intenções de Flávio Dino se ele se posicionar claramente como oposição ao grupo Sarney! Se ele não responder ás notas publicadas na coluna Painel, da Folha de São Paulo da última sexta-feira, a dúvida sobre as verdadeiras intenções de Flávio Dino se transformará em certeza da simpatia ao grupo Sarney. Quem viver verá!

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Notas

Representação capenga

O Maranhão está muito mal representado no Senado Federal. O senador Epitácio Cafeteira não é nem sombra daquele vibrante deputado federal do antigo PMDB, da era pré-Sarney. Pessoalmente gosto muito dele, mas para onde foi aquele Cafifa que tinha um milhão de amigos nas eleições de 1986? Ele sempre se caracterizou pela postura crítica aos desmandos da oligarquia Sarney. Agora serve como fiel escudeiro do presidente do Senado e é o responsável pelo pagamento mensal da boquinha do filho de Fernando Sarney, João Fernando. Para escapar do pagamento de uma pensão alimentícia, Fernando conseguiu uma sinecura de R$ 7,0 mil por mês, na "casa do pai José", ou Senado Federal, como preferirem!

A farra dos suplentes

Já a segunda vaga na representação maranhense no Senado é ocupada pelo suplente Édison Lobão Filho, filho mais velho do Ministro das Minas e Energia, Édison Lobão. Ele, o filho, é empresário do ramo de comunicações e, segundo suas próprias palavras, adquiriu a TV Difusora, filiada ao SBT em São Luís, com recursos financeiros advindos da venda de uma padaria localizada nas proximidades de uma área de garimpo no Sul do Pará. Vai ver a padaria se chamava Pão D'Ouro e vendia pãezinhos finamente decorados com filetes do metal precioso. A última do senador Lobão Filho foi defender que o número mínimo de dias de trabalho para uma empregada doméstica estabelecer o vínculo empregatíco com o patrão é de quatro dias por semana, ao invès de dois dias, como entende hoje a Justiça Trabalhista. E ainda própôs como remuneração para o trabalho de diarista a quantia de R$ 15,50 (quinze reais e cinquenta centavos) por dia de faxina. No Maranhão as diaristas cobram de R$ 50 a R$ 60 em média e em São Paulo é raro encontrar uma faxineira que trabalhe por menos de R$ 100,00 por dia. Muy amigo este "verdadeiros defensor" dos interesses da laboriosa categoria de diaristas e faxineiras do Brasil.

A farra dos suplentes 2

Já a terceira vaga de senador pelo Maranhão é ocupadapelo também suplente Mauro Fecury, ex-deputado federal e proprietário da maior universidade privada do Maranhão, o CEUMA. É o nosso Wellington Salgado timbira. Igual ao suplente mineiro
que também é dono de uma grande instituição de ensino universitário privado de Minas Gerais. e ocupa uma vaga no Senado desde 2003 no lugar do Ministro das Comunicações, Hélio Costa. Além de empresários da educação, ambos têm outro ponto em comum: são senadores sem terem obtido um voto sequer!!

O descompromisso de Lobão

E falando em Senado, eu não entende o que o ministro Édison Lobão está fazendo na pasta de Minas e Energia? Como pode o povo do Maranhão, que possui uma das mais baixas renda per capita do Brasil, pagar a segunda tarifa de energia mais cara do Brasil? Será falta de fiscalização por parte do Ministério de Lobão? Com certeza essa questão da exploração que a Cemar pratica contra os consumidores maranhenses será cobrada de Lobão nos debates da campanha para governador ou senador do Maranhão em 2010!!

Contraponto dos anarquistas

O jornal "O Estado do Maranhão" noticiou com destaque a saída dos deputados Carlos Braide e Antônio Bacelar do PDT e de Arnaldo Melo, Alberto Franco e Stênio Rezende do PSDB. Ao contrários dos anarquistas históricos esses cinco deputados defendem aquele conhecido e manjado lema:"Hay governo, soy a favor". Os cinco têm um carimbo de governista estampado nas testas e não sobrevivem polticamente longe do poder, seja qual for ele! Melhor seria para o grupo Sarney se os cinco permanecessem no PDT e no PSDB para criar problemas políticos na campanha do ano que vem. Transferindo-se para os partidos da base aliada de Roseana Sarney os cinco deputados só vão inchar esses partidos e tornar mais dificil as próprias reeleições! Quem viver, verá!

Demonstração de maturidade

A Assembléia Legislativa do Maranhão se fortaleceu muito esta semana diante da opinião pública do nosso Estado. A atuação dos deputados estaduais, sobretudo do presidente Marcelo Tavares, na intermediação das negociações com policiais civis em greve, foi o ponto positivo de destaque da semana que passou!!

Vendendo sabão em pó...

Alguns amigos estranharam a logomarca do baralho na parte superior direita do blog. Eu explico: já escrevi dezenas de matérias na minha vida sobre o principal hobby de Roseana Sarney, que é um joguinho de pif-paf. Com a volta dela pela portas de fundo dos Leões, com certeza, voltou o tempo do baralho no Maranhão. Ela nem pode reclamar que eu plagiei a logomarca do governo dela, porque é exatamente o mesmo lema utilizado pelo candidato Amazonino Mendes, nas eleições municipais de Manaus no ano passado. Basta conferir na internet!! Como se diz no marketing: Omo, Ace e Pop é tudo igual o que muda é só a embalagem e o dinheiro investido na propaganda.

Próximas atrações do blog

Na semana que vem vou publicar uma entrevista com um personagem maranhense que entende tudo sobre saúde pública no nosso Estado e ainda relembrar o inedetismo da oligarquia Sarney que colocou em prática a parceria pública/privada há 26 anos, muito antes do que o presidente Lula.

Ansioso pelo domingo

Estou pressentindo que o meu São Paulo sairá líder do Brasileirão neste final de semana. Vou secar o Inter contra o Vitória no Barradão e esperar pela derrocada palestrina diante do Cruzeiro em Minas!! Queria mandar um recado aos amigos tircolores Lucas, Daniel, Aderson, Sérgio e ao meu querido tio e padrinho Paulo Arthur: tem um camelô na rua Grande fazendo uma mega liquidação de máquinas calculadoras. Não percam a oportunidade de adquirir uma para calcular com exatidão qual será a rodada que o Fluzão cairá para sérieB!!!

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Qual é a tática correta para as eleições de 2010?

No ano que vem o Maranhão vai acompanhar a eleição para a escolha do novo governador do Estado para o quadriênio 2011/ 2014.
Em 2006 o candidato do PDT, Jackson Lago, se tornou governador após vencer a candidata do PFL, Roseana Sarney Murad, no segundo turno das eleições.
Inconformado com a derrota de sua filha, o senador José Sarney forjou um processo e graças a sua influência política a Justiça Eleitoral cassou o algoz de Roseana. Quatro ministros de TSE, capitaneados por um ministro-relator ligado ao senador Sarney, Eros Grau, tiraram o mandato de Jackson Lago e na prática anularam cerca de um milhão e quatrocentos mil votos livres de eleitores maranhenses.
Além de cassarem Jackson, os quatro ministros do TSE determinaram que a candidata que perdeu o 2.° turno das eleições de 2006 tomasse posse em oposição direta ao que determinam tanto a Constituição do Brasil como a do Estado do Maranhão.
Roseana Sarney tomou posse em 17 de abril de 2009 em meio a uma das maiores tormentas políticas vividas pelo Senado Federal, dirigido desde 1.° de fevereiro deste ano por seu pai, o senador pelo Amapá, José Sarney.
O 1.° semestre de 2009 virou o Senado Federal pelo avesso. Foi um verdadeiro festival de atos secretos; nepotismo; orçamentos milionários descobertos; favorecimento para negócios financeiros de um neto de Sarney (filho de Zequinha); contratações de um filho e do namorado de uma filha de Fernando Sarney; cessão de passagens aéreas gratuitas e da casa oficial da presidência do Senado para jogadores de pif-paf, amigos de Roseana; e contratação de parentes de Marli Sarney e Jorge Murad, além de um funcionário do Senado por R$ 12 mil mensais para trabalhar como mordomo da casa de Roseana em Brasília.
O Senado se tornou uma “casa do pai José”, uma espécie masculina da “casa da mãe Joana”.
Aqui no Maranhão, o governo do Estado está sendo desgovernado por Roseana Sarney há cinco meses. Na prática quem manda é o secretário de Saúde, Ricardo Murad, cunhado de Roseana e irmão de Jorge Murad.
É o mesmo Ricardo que “rompeu” com Sarney em 1993 e falou cobras e lagartos da cunhada e do irmão nas campanhas eleitorais de 1994 e 1998.
(Ouça as palavras de Ricardo Murad sobre Roseana Sarney)

Ele passou uma chuva na oposição ao grupo Sarney perambulando por diversas siglas e tentando enganar os eleitores maranhenses no PSD, PSDB, PDT e PSB. Em 2006, Murad retornou á casa paterna e desde então está no PMDB de Sarney.
Cada secretário de Roseana transformou sua pasta em máquina eleitoral visando a reeleição em 2010. Milhões de reais já foram gastos em dispensas de licitação ilegais. As secretarias de Saúde, Educação e Segurança Pública se tornaram comitês eleitorais dos deputados-secretários.
No setor de saúde a realização de exames laboratoriais foi terceirizada em favor dos grandes laboratórios privados e hospitais públicos estão sendo entregues para serem administrados por entidades desconhecidas no Maranhão.
É uma verdadeira farra com o dinheiro público.
A governadora Roseana Sarney em uma demonstração inequívoca de que não possui qualquer compromisso com a população de São Luís, Imperatriz, Pinheiro, Caxias e outros municípios, seqüestrou verbas liberadas pelo governo Jackson Lago através de convênios legais, legítimos e regulares para colocar em prática um bizarro plano de Ricardo Murad, batizado de “Viva Saúde”, que prevê a construção de 65 hospitais de 20 e 50 leitos cada em dez meses de administração.
É a festa dos empreiteiros escolhidos a dedo pelos Murad.
Por outro lado, o governo estadual através do Procurador Geral do Estado, Marcos Lobo, com o apoio de Ricardo Murad e Raimundo Cutrim, forja processos contra os principais líderes da oposição como Jackson Lago, José Reinaldo Tavares e Aderson Lago com o claro objetivo de torná-los inelegíveis e afastá-los da eleição do ano que vem.
Como se diz no boxe, a oligarquia quer ganhar as eleições de 2010 por WO no tapetão do TRE/MA presidido pela cunhada do ex-presidente José Sarney.
Com a ruína moral e a completa falta de credibilidade política do grupo Sarney no Maranhão, a oposição precisar acertar a estratégia eleitoral para o ano que vem da mesma forma que acertou em cheio em 2006.
Partir para a eleição do ano que vem com um candidato único da oposição contra Roseana Sarney ou Edison Lobão é um erro que não pode ser cometido. Mesmo enfrentando uma grave doença terminal, a oligarquia Sarney ainda é forte, possui a maior rede de comunicação do Maranhão, está com a máquina do governo estadual na mão e disputará o governo do Estado no ano que vem com um (a) forte candidato (a) próprio (a).
A história recente das eleições de 2002 e 2006 não pode ser esquecida. Em 2002, antes de retirar sua candidatura para apoiar Jackson, Roberto Rocha, do PSDB, tinha cerca de 8% auferidas em pesquisas. Naquela eleição Jackson Lago (PDT) obteve 42,52% dos votos, contra 51,05% de José Reinaldo (PFL), 6,02% de Raimundo Monteiro, do PT, e 0,40% de Marcos Silva, do PSTU.
Não podemos esquecer que em 2002 Ricardo Murad se candidatou a governador pelo PSB. Ele obteve cerca de 7% dos votos que foram anulados pela Justiça Eleitoral porque Ricardo, como cunhado de Roseana, era inelegível. Na época das eleições, Ricardo já tinha retornado ao grupo Sarney e foi candidato laranja do grupo Sarney, pois sabia que não poderia concorrer naquele pleito.
No 1.° turno de 2006, Roseana Sarney (PFL) obteve 47,20%, contra 34,35% de Jackson Lago (PDT), 14,26% de Edson Vidigal (PSB), 3,44% de Aderson Lago (PSDB), 0,44% de João Bentivi (PRONA), 0,23% de Saturnino (PSOL) e 0,05% de Aragão (PSDC). No 2.°turno das eleições, Jackson obteve 51,81% dos votos contra 48,18% de Roseana, um pouco a menos do que 52,05%, que foi a soma dos três candidatos (Jackson + Vidigal + Aderson) contra Sarney no 1.° turno.
Agora para 2010 não seria errado supor que as intenções iniciais de voto de Jackson Lago deverá ficar entre 30 e 35%, considerando-se apoios ganhos no interior do Estado, principalmente na região Sul, e perdas no eleitorado da capital.
Além da questão puramente matemática, deve-se levar em conta a questão política. É muito importante e vital para o futuro da democracia no Maranhão que a base aliada de Lula que apóia a candidatura de Dilma Roussef no Maranhão (PT, PC do B, PMDB, PTB e PR) se divida no Estado nas eleições para governador.
Vocês já imaginaram uma coligação PT/ PC do B/PMDB/DEM/PV/PTB/PR apoiando Roseana Sarney para governadora? Seria a chapa dos sonhos de Sarney.
Como o PT está dividido em dois grupos distintos, mas naturalmente poderia se coligar ao PC do B e ao PSB, entendo que a candidatura do deputado Flávio Dino a governador poderia garantir a realização do segundo turno no Maranhão.
Como o próprio Jackson Lago é dono de um patrimônio eleitoral elevado, na faixa de 30 a 35%, acho que o PSDB poderia também apresentar um candidato próprio que bem poderia ser o deputado Roberto Rocha.
Muita água vai rolar ainda debaixo da ponte, pois ainda faltam 13 meses para as eleições de 2010. O desempenho dos candidatos a governador nos programas de TV e de rádio do horário gratuito e nos debates e a formação das chapas majoritárias e proporcionais, definirão o rumo das eleições do no que vem.
Apresentando as candidaturas de Jackson Lago, Flávio Dino e Roberto Rocha, a oposição tradicional e histórica ao grupo Sarney terá reais chances de vitória em 2010.
Lançar apenas um candidato a governador pela oposição só prolongará a vida útil da oligarquia Sarney e será, na prática, cometer dois erros: 1) vestir uma camisa de força no PT, facilitando a entrega da sigla de Lula no Maranhão para a ala sarneysista capitaneada por Washington de Oliveira e Helena Heluy, e 2) desconhecer o pragmatismo das posições políticas do PC do B, que em Brasília defendeu arduamente a permanência de José Sarney na presidência do Senado Federal.
O debate está aberto e correndo solto nas hostes oposicionistas à oligarquia Sarney. A hora de debater e avaliar a conjuntura política eleitoral do Maranhão é agora. Um debate franco e democrático é vital para o futuro político do nosso Estado.


Postado por Marcos Nogueira às 17h00 de 17 de setembro de 2009