quarta-feira, 7 de julho de 2010

Leonardo seria o Dunga II

Esta copa do mundo está estranha. A Alemanha, a seleção que jogou o futebol mais bonito até agora (Alemanha 4 X 1 Inglaterra e Alemanha 4 X 0 Argentina), fez uma partida horrível contra a Espanha e perdeu de 1 X 0.

Com a final entre Holanda e Espanha, a Europa ficará com dez títulos (Itália quatro – 1934, 1938, 1982 e 2006; Alemanha três – 1954, 1974 e 1990; Inglaterra um em 1966; a França um em 1998; e Holanda ou Espanha um em 2010) contra nove títulos da América do Sul (Brasil cinco – 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002; Argentina dois – em 1978 e 1986; e Uruguai dois – em 1930 e 1950).

Falando em seleção brasileira eu não acredito que o presidente da CBF vai fazer a besteira de escolher Leonardo para técnico. O ex-jogador do Flamengo não tem experiência alguma, a não ser uma curta passagem negativa pelo Milan. Seria muita burrice contratar outro técnico sem experiência como Dunga foi escolhido em 2006.

Se o objetivo agora é renovar a seleção e preparar um time competitivo para 2014, ninguém melhor que o técnico Dorival Júnior que fez milagre no Vasco em 2009, conquistando a série B.

Em 2010 ele conseguiu a proeza de transformar o time do Santos, que era um arremedo de equipe deixado por Vanderlei Luxemburgo em 2009, e transformou o Peixe no melhor time disparado de 2010, ganhando a o campeonato paulista e disputando a final da copa do Brasil deste ano.

A receita do sucesso do Santos (mais de 140 gols em cerca de 40 jogos) foi simples; prestigiou a molecada e promoveu para o time titular meninos como Neymar, que tinha 17 anos no início do ano, e Paulo Henrique Ganso, que tinha 19 anos em janeiro de 2010.

Montou um belo time com dois zagueiros experientes (Edu Dracena, que veio do futebol turco, e Durval, que veio do Atlético Paranaense), recuperou o bom futebol do volante Arouca e do lateral esquerdo Léo, improvisou Wesley na lateral direita, repatriou Robinho que era reserva no futebol inglês, trouxe o meia Marquinho e apostou no talento do centroavante André. Encostou o irritadiço goleiro Fábio Costa e promoveu jovens promessas para o gol e com bons reservas como Pará e o baixinho Madson, montou um bom plantel que deu um verdadeiro show de futebol arte no primeiro semestre de 2010.

Pena que Dunga prestigiou verdadeiros pernas de pau como Felipe Melo, Kleberson, Josué e Júlio Batista. Nos jogos contra Portugal e Holanda, com a expulsão de Kaká e de Ramires e com a séria contusão de Elano, ficamos sem opção de banco e tanto Ganso como Neymar cairiam como uma luva naquelas duas partidas, principalmente na derrota contra a Holanda.

Pelo amor que os torcedores brasileiros têm pela seleção Sr. Ricardo Teixeira, LEONARDO NÂO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário